Brasileiros aderem ao DDA

foto: Materials Art em CC

O serviço bancário de Débito Direto Autorizado (DDA), que gera cobranças eletrônicas e dispensa a emissão e o envio de boletos de papel completou cinco meses com mais de 3,1 milhões de cadastrados de acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Com isso, mais de 65 milhões de boletos deixaram de ser impressos e enviados pelo correio. Os bancos comemoram os resultados e entidade de defesa do consumidor alerta para a cobrança sem aviso por serviços.

Solicitado pelo próprio consumidor, o DDA permite que todos os pagamentos assumidos por ele sejam acessados pelo banco e associados ao Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). As cobranças são geradas automaticamente, basta que o cliente cobrador também esteja cadastrado na instituição financeira.

Mais de 1,2 milhão de clientes do Banco do Brasil aderiram ao sistema, o que representa 21 milhões de boletos eletrônicos emitidos, de acordo com a assessoria da instituição. Dessa forma, o serviço movimentou cerca de R$ 53 bilhões. Mas o destaque do ano foi o banco Santander, que concentra 59% das novas assinaturas registradas pelo mercado nos últimos dois meses, quando atingiu crescimento de 141% no cadastro, com um total de 420 mil pessoas.

Além da economia de papel e facilidade de cobrança, o DDA demonstra que a internet está cada vez mais presente na vida das pessoas. De acordo com a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste) até agora ainda não houve nenhuma queixa contra o serviço. No entanto, como se trata de uma nova possibilidade, é preciso prestar atenção nos próprios direitos. Até agora, o Banco Central ainda não permitiu a cobrança pelo DDA, mas os contratos de adesão dizem que ele pode ser cobrado.