A inovação está na rede – você usa?

Innovation, Thomas Hawk, CCfoto: Thomas Hawk, CC

Muito se fala em inovação nestes dias. Já já será mais uma das palavras muito usadas para falar de internet e negócios e que acabam perdendo o sentido. De toda forma, inovar é fundamental para todos – e não importa o tamanho do seu e-commerce. Quem puxa as tendências, na nossa área, é a Amazon. Foi lá que surgiram, pela primeira vez, os comentários de clientes, as avaliações, os programas de afiliados… A lista não pára e a loja segue aumentando as funcionalidades que oferece. Por isso mesmo ela vai citada aqui e registramos: veja o que eles fazem, porque a inovação lá é o ar que todos respiram.

Os pequenos e médios tendem a ter comportamento de manada: fazem o que é feito por aí, da melhor forma possível. Resultado claro da limitação de recursos, mão de obra e conhecimento. Para isso a internet tem solução: crowdsourcing. Usar a sabedoria das multidões a seu favor é uma arte – muito parecida com a arte de se comunicar nas redes sociais, diga-se. Segundo a Wikipedia, crowdsourcing é:

Utilizar a inteligência e os conhecimentos coletivos, e voluntários, para resolver problemas, criar conteúdo ou desenvolver novas tecnologias. É também chamado de “open innovation“.

Como isso funciona? Muitas vezes a empresa solta uma consulta na internet – anunciando seu problema e o preço que pagará pela solução. Os participantes propõem soluções e a empresa seleciona a melhor. Embora isso seja muito usado nos EUA, no Brasil ainda é pouco utilizado – porque a baixa inovação brasileira faz todo mundo temer os concorrentes.

A inovação aberta (open innovation) dá ótimos resultados – Linux e Android são apenas dois exemplos disso. WordPress, a plataforma queridinha de publicação de blogs também e o osCommerce também. Com diferenças variadas – que decorrem da qualidade e quantidade de contribuições da comunidade – todos mostram esta força.

Inovação: modo de usar

Inovação pode ser usada por empresas de todos os tamanhos. Ela precisa da sua imaginação e um pouquinho de conhecimento sobre as plataformas disponíveis.

Para o marketing: plataformas como o Zoopa simplificam o processo de criação e produção de propaganda.

Para novas soluções: contatar faculdades e suas empresas juniores muitas vezes é processo complicado e demorado. O Battle of Concepts encurta o caminho. Você faz o desafio, os inscritos no site dão soluções.

Além destes dois, é possível criar fóruns e redes online de forma rápida e simples – WordPress, sistemas prontos de grupos, Ning são apenas exemplos, muitos deles gratuitos – e reunir através de seu site uma comunidade que participe. Só para lembrar: mesmo assim, há que haver mão de obra e inteligência para gerenciar estes processos e fazer valer a presença. Não adianta nada criar um canal de colaboração e deixá-lo juntar bits velhos, não é mesmo?