Os deveres do comércio eletrônico

Monopoly e-ccommerce, Daniel Broche, CC

A maior parte dos sites de comércio eletrônico pertencem a micro e pequenos empresários, segundo a Câmara Brasileira do Comércio Eletrônico. E, segundo Wlamir Bello, consultor de marketing do Sebrae-SP, esta realidade vale para todo o Brasil.

Antes de colocar os seus produtos à disposição dos quase 27 milhões de mouses brasileiros à solta neste universo, é interessante considerar os prós e contras. Principalmente porque o comércio eletrônico tem os mesmos deveres e obrigações de uma loja física. Antes de começar, conheça a carta de princípios do comércio eletrônico. E também os seus deveres:

  • Entregar o prometido – o produto entregue ao cliente tem que ser aquele que foi pedido. Parece óbvio, mas mesmo os grandes varejistas do setor erram feio no quesito.
  • Crie um sistema de logística confiável – isso é importantíssimo no comércio eletrônico brasileiro: a logística. Vale lembrar que, além da entrega, é preciso considerar a logística reversa, fundamental para cumprir o Código de Defesa do Consumidor (CDC).
  • Respeite o CDC – sim, ele também vale para relações de consumo criadas na internet e os Procons de todo o país estão de olho no setor, já que junto com o crescimento veio o aumento do número de reclamações.
  • Crie e mantenha atualizadas suas páginas de termos e condições – escrevemos recentemente um post apenas sobre isso. Elas são fundamentais para orientar seus clientes.
  • Cumpra suas obrigações fiscais. Há uma variedade de impostos e requerimentos para operar. Esteja atento a eles e tenha sempre asessoria contábil e jurídica.
  • Tenha canais de atendimento eficientes – é importante ter telefone, e-mail e chat para atender seus clientes. Use o feedback para fazer correções em seu site sempre que necessário.

Via Blog do E-commerce, foto: Daniel Broche

Uma opinião sobre “Os deveres do comércio eletrônico”

  1. No Brasil, 98% das empresas são de micro e pequeno porte (SEBRAE 2011), porém somente 20% dos R$ 14,8 bilhões gerados pelo e-commerce em 2010 vão para estas empresas.(camera e-net)

    Abrir um e-commerce requer, além dos deveres citados acima, muito planejamento e adequações no modelo de trabalho. Preparar-se para a nova demanda também é algo muito importante.

    Os empresários brasileiros precisam, antes de tudo, identificar as necessidades dos e-consumidores. Como? Basta colocar-se em seu lugar, e a partir disso identificar pontos-chave para que este cliente online tenha suas necessidade supridas em um ambiente virtual. Trabalhe MUITO encima dos pontos identificados.
    Nunca subjugue a concorrência, aprenda com ela.

    Parabéns pela matéria.
    Abraço à todos e muito sucesso!

Os comentários estão encerrados.