O prejuízo que vem do spam

Credit Card Theft, Don Hankins, CC-BY

A Trend Micro, empresa de segurança, realizou estudo sobre spams enviados por cibercriminosos e quais técnicas utilizam na tentativa de roubar dados ou dinheiro.

Ao todo, quase 200 bilhões de spams são enviados diariamente, chegando a ser 100 vezes mais do que em 2002, quando foram registrados 2,4 bilhões.

Essas mensagens, segundo pesquisa, resultaram às empresas europeias prejuízo de 2,8 bilhões de dólares com perda de produtividade, já ás companhias norte americanas relataram prejuízo muito maior, chegando a 20 bilhões de dólares.

O estudo também identificou 38 línguas e dialetos que são frequentemente usados em spams. Em 2010, 95% das amostras coletadas estavam em inglês. Em 2011 esta participação caiu para 92%.

Anexos em spams
A pesquisa detectou que 96% dos spams não têm anexos e apenas 3% dos anexos são maliciosos. Os pesquisadores identificaram tendência de crescimento no número de spams com anexo.

Os spams sem anexos podem ser classificados nas seguintes categorias: oferta de emprego, assistência médica e comercial e golpes. Cerca de 50% do total de spams com anexos são com extensão ZIP. Mas muitos também são encontrados com extensões de imagens como, JPG e GIF ou ainda, com arquivos extensão DOC e XLS que conferem maior credibilidade ao spams.

“Spear-phishing” e outros ataques direcionados
Mas os spams vão além dos e-mails em massa, a nova tendência são os ataques “spear-phishing”, que têm sido amplamente utilizados por cibercriminosos para roubar senhas específicas das organizações.

Esses ataques têm como alvo executivos de grandes corporações e altos funcionários do governo. Os cibercriminosos lançam ataques agressivos com engenharia social para manter o controle dentro de uma rede e extrair informações confidenciais.

O crescimento do spam em redes sociais
Os spammers estão migrando para as mídias sociais, espalhando ataques em massa. Muitas vezes empresas entram em contato com ameaças web ao utilizarem sites de rede sociais para marketing e promoções.

Como já dissemos no post sobre o relatório da Norton de segurança: educação é fundamental para garantir a segurança. Não resolve muito proibir, é preciso saber usar (muito bem) a internet para evitar os ataques.

Via: InformationWeek, foto: Don Hankins, CC-BY

2 opiniões sobre “O prejuízo que vem do spam”

  1. Oi, Júnior.
    A questão é que qualquer e-mail indesejado ou não solicitado pelo internauta é spam. É a grande questão mesmo é que isso consome milhões de recursos. Sem contar que leva a golpes que arrancam milhares de reais dos usuários menos informados (ou menos protegidos).

  2. Tenho uma visão um tanto particular e polêmica com relação a isso ( quero deixar bem claro que não sou spammer ). Acho esse negócio de spam uma verdadeira palhaçada. Uma estratégia das grandes empresas manter as pequenas longe delas. Parece até sem fundamento, mas raciocinem comigo: a empresa grande envia e-mail marketing, a pequena, envia spam. Por que??? Uso minha experiência. recebi hoje mesmo um “e-mail marketing” de uma empresa grande do ramo de eletros e nunca se quer visitei o site deles. Então acho esse negócio de spam uma verdadeira enganação, porque sabem por aí que o brasileiro é um povo gente boa e acham que somos bobos.

Os comentários estão encerrados.