CampusParty 2012, um resumo

Arena Campus Party

Semana passada a equipe do PagSeguro esteve na CampusParty Brasil 2012. Já postamos alguns dos destaques do que aconteceu no Anhembi Parque ao vivo, direto do evento. E, agora, vamos contar o que aconteceu na arena, a área do evento em que só os inscritos circulam.

Segunda, 6 de fevereiro – foi o dia de chegar e instalar o acampamento. Literalmente. A abertura oficial aconteceu com algum atraso à noite, mas durante o dia os links de 20GB já estavam funcionando na arena do Anhembi.

Camping

show gameboys
Os Gameboys tocaram clássicos dos videogames após a abertura oficial

Terça, 7 de fevereiro – primeiro dia de funcionamento de verdade da CampusParty. 16 palcos de conteúdo funcionaram simultaneamente com uma programação variada e diversa. Enquanto os novatos se deslumbravam com as engenhocas da robótica e com os moddings maravilhosos, nos diversos palcos, muita informação.

Sugata Mitra no palco principal

A grande estrela do dia foi o indiano Sugata Mitra, pesquisador de tecnologia educacional no MIT. As frases que pipocaram de suas várias falas despertaram a questão do impacto das tecnologias na educação das nossas crianças. Entre outras coisas importantes, a mudança do papel dos professores e a capacidade dos pequenos de utilizar tudo o que está online para construir conhecimento.

GodFather mod

Também foi dia do Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, estar no evento e participar de um debate sobre inovações tecnológicas.

debate inocações tecnológicas

Quarta, 8 de fevereiro – no segundo dia, o destaque foi o IPv6. O novo protocolo, necessário para que a internet continue a crescer. A maior vantagem do IPv6 frente à versão do protocolo IP empregada atualmente (IPv4) é a quantidade de dispositivos conectados simultaneamente. Cada máquina ganha um IP único que identifica o dispositivo na rede mundial de computadores. Esse número de 32 bits depende de uma combinação bolada no início da rede. Naquela época nem parecia que o limite de pouco mais de 4 bilhões de IPs seriam suficientes. Não são. Algo em que nós todos teremos que pensar em breve, já que os sites devem ser compatíveis com a novidade.

ipv6
Palestra Redes Corporativas e IPv6, com Marcelo Gardini do Amaral, responsável pelo datacenter do NIC.br

Neste mesmo dia também apareceu num dos estandes, o Galaxy X, nome que o Galaxy Nexus vai receber aqui no Brasil. O smartphone, com sistema Android fez sucesso entre nerds e geeks, ansiosos para ter a novidade.

Dave Haynes, SoundCoud

A palestra de Dave Haynes, da SoundCloud, também chamou a atenção sobre a música na nuvem, um fenômeno que conquista músicos, gravadoras e ouvintes no mundo todo. Outra grande estrela do dia? Neil Harbisson, artista visual e compositor britânico, considerado um ciborgue por usar um olho eletrônico para reconhecer as cores.

Neil Harbisson

Quinta, 9 de fevereiro – No dia em que o diretor da Wikimedia, Kul Wadhwa, subiu ao palco principal para tentar convencer os brasileiros presentes a participar mais da Wikipedia em português, houve mais, muito mais na arena. O chileno de 14 anos Sebástian Klocker, criador do @AlarmaSismos, sistema caseiro de detecção de terremotos, circulou muito e deu diversas entrevistas, além de também subir ao palco principal.

Kul Wadha

sebastian Klocker

Apareceu outro ciborgue na arena, o canadense Rob Spence, mais conhecido como @eyeborg. Sim, existem muitos seres humanos com partes mecânicas que funcionam. No caso de Rob a sua câmera ainda não está integrada ao cérebro, mas ele até pensa neste assunto.

Rob Spence

Também houve a palestra de Alex Bellos, autor de “Alex no País dos Números”, com Ricardo Oliveira, bi-campeão da olimpíada brasileira de matemática, onde defenderam o ensino de matemática e o quanto ela pode ser divertida. Um verdadeiro incentivo aos nerds de plantão.

Alex Bellos e Ricardo Oliveira

Sexta, 10 de fevereiro – Foi dia de muita gente famosa. O palco principal foi ocupado por Rafinha Bastos, PC Siqueira, Rodrigo Fernandes (Jacaré Banguela), Mauricio Cid (Não Salvo) e Rosana Hermann (Querido Leitor), para falar da internet brasileira. No meio da tarde, Charles Lenchner, do Occupy Wall Street, Olmo Gálvez, da Acampada del Sol, e Leila Nachawati, blogueira sírio-espanhola que quebrou o silêncio midiático em torno da situação na Síria, falaram sobre o papel da Internet e seu potencial nas mudanças sociais. E o dia terminou com Julien Fourgeald, criador do Angry Birds, falando sobre games, tecnologia móveis e desenvolvimento. E parecendo uma cebola, porque vestiu inúmeras camisetas, que foi tirando ao longo da palestra – só para terminar sentado na ponta do palco, conversando com a plateia.

os filhos da internet

Revolução em Rede

julien fourgeald

Sábado, 12 de fevereiro – No último dia do evento, os campuseiros puderam conhecer melhor a Teoria das Cordas de Michio Kaku, o “físico do impossível” e viajar com ele pela possibilidade de integração do cérebro com as máquinas.

Michio Kaku

Também aconteceu o primeiro Campeonato Brasileiro de Overclocking, foi escolhido o melhor projeto de inovação (um e-commerce, o Qranio.com, que propõe que os usuários comprem produtos com a própria inteligência).

Campeonato Brasileiro de Overclocking

O dia terminou com Vince Gerardis, que criou Guerra dos Tronos,que fez uma videoconferência ao vivo com George RR Martin, o escritor.

Vince Gerardis e George RR Martin

Na festa de encerramento houve cosplay de Star Wars, campeonato de Street Fighter, entrega de Prêmios e muita farra. Sim, foi o dia da Final do Intel Extreme Masters Global Challenge, que aconteceu pela primeira vez em S. Paulo, no estande ao lado do nosso!!!

Encerramento

Ah, sim, bom lembrar: os campuseiros fizeram a sua homenagem a Wando, que faleceu dia 10, criando um varal de calcinhas no meio das bancadas.

Homenagem a Wando

O que bombou? Os Nerdcasts transmitidos ao vivo do palco de mídias sociais.

Nerdcast

Uma iniciativa bacana? A banda Móveis Coloniais Acaju, de Brasília, passou a semana na arena incentivando os campuseiros a colecionar sons para produzir um remix. O resultado foi apresentado nos shows que eles fizeram no Auditório Ibirapuera.

Oficina Remix - Móveis Coloniais Acaju

Algo que pouca gente presta atenção e é importante: o projeto de inclusão digital que acontece todos os anos. É inspirador ver a criançada aprender mais sobre internet, navegação e uso de novas tecnologias.

Projeto Guri

Não, isso não foi tudo. É impossível saber absolutamente tudo o que acontece numa CampusParty. Muito conteúdo, muitas promoções, muita informação simultânea. É o único lugar físico que representa exatamente o que é a internet: interesses e histórias múltiplas, que acontecem ao mesmo tempo.

Até 2013!

Fotos: CampusParty Brasil, CC-BY-SA

 

Uma opinião sobre “CampusParty 2012, um resumo”

Os comentários estão encerrados.