PMEs na mira dos ciberataques

How do you detect unmanaged changes to critical systems?
Photo Credit: NetIQ via Compfight

A internet expandiu as fronteiras do mundo empresarial. Com a sua chegada, surgiram novos modelos de negócio, outros nichos e uma nova forma de gestão. Ao mesmo tempo, surgiram as questões de segurança. Nas grandes corporações, o investimento nesta área já faz parte da rotina.

Enquanto isso, nas PMEs, há um enorme risco de ataques por conta da falta de investimentos na segurança dos dados. Segundo a pesquisa da Data Breach Investigations, feita pela Verizon e órgãos de segurança, os ataques aos grandes está cada vez mais caro e difícil. Resultado prático? Eles miram os pequenos e médios que oferecem menos riscos e baixa proteção.

O alerta, em geral, só dispara quando acontece algum incidente… A grande questão, claro é o investimento necessário. Não só em softwares (antivírus e firewall são fundamentais para garantir a segurança de máquinas e informações), mas também em treinamento. É fundamental que os funcionários e colaboradores saibam o que pode ser feito – porque, afinal, em caso de contaminação eles são os responsáveis pelo vazamento de dados.

Para evitar problemas, há algumas dicas importantes:

  • instale antivírus e firewall na rede e mantenha-os atualizados
  • mantenha os sistemas operacionais e navegadores sempre atualizados.
  • crie uma política de uso de internet para os funcionários, com base nas indicações de segurança. Da mesma forma, deixe claras as políticas de privacidade e vazamento de informações, para que você possa se defender em caso de incidentes.
  • Mantenha-se informado: as principais ameaças estão sempre em destaque nos sites especializados. Informação e bom uso são as melhores armas para evitar os golpes mais comuns dos crackers.
  • Usar o PagSeguro como sistema de pagamento garante a segurança dos dados de seus clientes. Mas é necessário instalar servidores seguros e criptografia (e mantê-los atualizados), para completar o ciclo.

Via: RiskReport