5 tendências quentes no ecommerce

Brave New World - Un mundo feliz - Schöne neue Welt Daniela Hartmann via Compfight

O número de consumidores comprando online só aumenta. Em 2012, a previsão é que o mercado norte-americano chegue a US$ 224,2 bilhões. [Aqui no Brasil a previsão em 2011, o mercado é de US$ 9,8 bilhões] Sim, é uma nova onda de varejo e, em alguns setores, o ecommerce é tanto uma oportunidade para grandes lucros como pode ser a razão da falência.

Tudo porque o cenário muda rapidamente e os negócios precisam acompanhar as mudanças para sobreviver. Abaixo você verá 5 tendências que ilustram as tendências em compras online, bem como algumas ideias e estratégias.

1. Produtos exclusivos e os industrializados

O sucesso da Etsy (aqui no Brasil temos diversos sites como este) e artistas que vendem seus trabalhos online devem-se ao fato de não existir produtos como os que eles oferecem. São objetos únicos que ganham o cliente pela sua personalidade ou estética. Nestes casos, tentar competir pelo preço é péssimo, principalmente porque são produtos que exigem tempo e habilidades específicas. Mais que preço, é preciso criar uma marca forte e uma reputação de qualidade – e aí a demanda vem forte.

Na outra ponta do espectro estão produtos industrializados, como eletrônicos, ferramentas e qualquer outro equipamento. Os pequenos têm pouquíssimo sucesso com este tipo de itens. Os compradores preferem os grandes players para estas compras. O que os pequenos podem fazer, isso sim, é se afiliar aos grandes. Um exemplo lá dos Estados Unidos: a Lifeproof, linha de capinhas à prova de choque e água para iPhone e aliou à BestBuy e conquistou o grande público, embora seja um produto de nicho.

2. Sites de e-commerce prontos

Usar sites ou serviços que podem criar um e-commerce funcional e atrativo, garante simplicidade e permite que você se dedique ao seu negócio. Nos Estados Unidos há dois grandes provedores do serviço. Aqui no Brasil, o SitePX e alguns outros também fazem isso por você – inclusive a integração com o PagSeguro.

Nós já falamos muito aqui no blog sobre a criação do seu próprio site e quais os sistemas disponíveis. (clique no link para ver todos os artigos).

3. Efeito “negócio de família”

Embora no varejo tradicional os negócios familiares sejam cada vez mais raros – e acabam sendo extintos por grandes redes, no reino digital as lojas pequenas e personalizadas podem (e realmente conseguem) fazer sucesso. Além de ter a lealdade dos consumidores, este tipo de negócio pode ter vantagens logísticas, inclusive. Lá nos Estados Unidos já existem até serviços específicos para estes negócios, como o SumAll – que oferece análise de dados para pequenos e médios negócios…

4. Remarketing

O marketing estático morreu e negócios de todos os tamanhos têm que ser criativos para atravessar a grande barreira da comunicação. Para o e-commerce, uma nova técnica é o “remarketing” – usar múltiplos toques para gerar interesse contínuo pelo produto. Se você algum dia já reparou que os anúncios das paginas que visita refletem os seus interesses, você já experimentou o remarketing. A coisa é: se o cliente entra no site e sai sem comprar o site segue o cliente internet afora, com anúncios e ofertas nas páginas que ele visita a partir de então.

O problema desta estratégia é que os usuários costumam se incomodar e até mesmo estranhar os “anúncios perseguidores”. Entretanto se ele estava indeciso sobre uma compra, este anúncio pode ser exatamente o empurrão que faltava para ele ir até o checkout.

5. Mobile

Sim, sim, sim, o presente já é móvel. 81% dos acessos à internet são feitos por smartphones e 59% dos usuários acessam a internet em seu celular quando estão esperando (dados do Think Mobile with Google, referentes aos Estados Unidos). Por isso é preciso otimizar seu site para o uso em celulares – para garantir a conversão.

Para as lojas físicas, o acesso móvel tem um lado negro: o cliente vai até a loja e usa o celular para verificar se existe preço mais baixo em outros lugares.

Aqui no Brasil, esta última tendência até acontece, mas as vendas não fecham por conta dos sites não otimizados e concorrência estrangulada.

De toda forma, tendências são linhas de possibilidade. Como na internet tudo muda – e muda rápido – a grande lição sempre será: esteja pronto hoje para o que ainda não aconteceu. Saber (e atender) as tendências é a diferença entre sucesso ou fracasso.

Via: Mashable

Para você que já aposta no comércio eletrônico não deixe de oferecer a melhor e mais segura forma de pagamento aos seus clientes. Cadastre-se agora mesmo no PagSeguro: