Governo acelera inclusão de categorias na NF-e

Atenção empresários brasileiros. Quem negocia mercadorias – e usa as Notas Fiscais 1 e 1A – precisa ficar atento às convocações do Governo Federal para a migração obrigatória para a Nota Fiscal Eletrônica. Convidamos o diretor de negócios de NF-e e SPED da Boldcron, Guilherme Holland para explicar um pouco o que está acontecendo.

Imagem: Paper no SXC
Imagem: Paper no SXC

A implantação da Nota Fiscal Eletrônica – tanto de produtos quanto de serviços – agiliza e facilita a vida dos empresários, mas requer conhecimentos e gerenciamento que muitas empresas ainda não desenvolveram. Esta novidade diminui custos gráficos, operacionais, logísticos e garante transparência entre as empresas e o fisco.

O Governo tem efetuado as convocações dos setores da economia gradativamente, em média com nove meses de antecedência da data marcada para início da emissão obrigatória de NF-e’s. Em 2008 foram convocadas dez segmentos produtivos: cigarros, combustíveis líquidos, montadoras, cimento, medicamentos alopáticos, frigoríficos, fabricantes de bebidas alcoólicas e refrigerantes, aço, ferro gusa, agentes de comercialização de energia elétrica.

Na próxima convocação, em Abril, serão incluídos no sistema mais 25 segmentos produtivos. E para setembro já está programada a convocação de 54 novos segmentos produtivos. “Isso indica uma aceleração do processo dentro do Governo”, explica Guilherme. E quando o segmento é convocado, todas as empresas legalmente ativas (com CNPJ) no setor devem adequar-se, preparando-se para substituir 100% das notas em fiscais em papel (modelo 1 e 1A) pelo modelo eletrônico (modelo 55). Um projeto de implantação da NF-e pode levar de 1 a 6 meses, dependendo do porte da empresa e complexidade de seus processos e sistemas.

Para se ter uma idéia do impacto, em setembro, todos os fabricantes e importadores de equipamentos de informática e periféricos estão convocados. Guilherme explicou que o sistema da Boldcron, o NotaNet é ofertado por meio de dois modelos distintos de contrato: aquisição de licença ou modalidade de serviços. Nesta segunda opção o cliente opera integralmente pela internet, pagando mensalmente pelo volume total de NF-e’s emitidas no período, podendo optar também pelo armazenamento seguro dos XML’s das notas, já que a guarda do arquivo eletrônico é obrigatória pelo mesmo prazo decadencial da nota em papel. Este modelo é ideal para empresas que emitem até 2.000 NF’s/mês.

Mesmo assim, a novidade dá um trabalho extra. É preciso ter certificação digital (que garante a origem e integridade do documento), fornecido por empresas como a Certisign ou Serasa. A certificação digital tem que ser renovada de tempos em tempos e há que se adquirir o hábito de fazer backup das notas para o caso de fiscalização.

Dúvidas? Estamos aqui para ajudar.

Imagem: Paper no SXC

Seu cliente não precisa pagar mais pelo boleto

Quem tem empresa sabe: boletos são cobrados, sempre. No PagSeguro, quase 25% das vendas são feitas através de boleto. Mas os nossos vendedores tinham um problema: alguns compradores desistiam da compra por conta da tarifa do boleto.

Hoje, 17 de fevereiro, a Febraban realiza em São Paulo um seminário sobre DDA – Débito Direto Autorizado, projeto que prevê a eliminação dos boletos. Os principais argumentos são a eliminação do papel e a conveniência de débito automático, além da redução dos custos de cobrança.

Mas enquanto o projeto não decola, seus compradores que preferem usar boleto ainda têm que pagar a tal taxa do boleto. Aliás, não é taxa, mas tarifa, pois é um valor fixo. O PagSeguro negociou muito para ter a menor tarifa possível para que seu comprador não desista de comprar na hora H. Quando lançamos o PagSeguro, conseguimos reduzir a tarifa de R$ 2,90 para R$ 1,00. Mas melhor do que isso, seria se o comprador não tivesse custo nenhum para usar essa forma de pagamento. A novidade é que agora o vendedor PagSeguro pode assumir esta tarifa. É só acessar sua conta PagSeguro, clicar em Meus dados, Preferências de recebimentos, e selecionar que deseja assumir a taxa de administração de risco.

Ao selecionar esta opção, não haverá nenhum custo adicional para quem realiza um pagamento com boleto. O custo relativo à emissão do boleto será descontado do vendedor.

Detalhe importantíssimo: esta opção desabilita o pagamento com boleto para pedidos inferiores a R$ 2,00.

Como criar sua loja na internet

imagem:SXC
imagem:SXC

Você tem o produto e/ou serviço. E aqui na rede, milhões de brasileiros buscam confiança nas compras on-line. Mesmo que você seja um pequeno empresário, sem saber como se constrói uma página de internet, é possível criar um canal (ou site) de e-commerce com relativa facilidade. Afinal, no PagSeguro a gente trabalha o tempo todo para oferecer soluções sob medida para todos.

1. Blogs ou orkut

Vamos dizer que você seja um blogueiro (ou uma blogueira). Você já tem seu blog, já coloca os seus produtos ou serviços lá. Não importa se você usa Blogger ou WordPress, a solução PagSeguro está prontinha para usar. Basta cadastrar-se, criar o seu carrinho de compras, copiar o código e colar no final do post… A sua “loja” vai funcionar – e aceitar de transferência bancária a cartões de crédito. Lembre de cuidar bem da sua logística para evitar devoluções e cancelamentos.

Dois casos de sucesso ao vivo:

a Raquel Sallaberry, que já oferecia seus cadernos artesanais (e também bijus lindas) no blog, optou por fazer sua loja no Elo7 em vez de criar os botões comprar. A loja aumentou as vendas e ela está feliz e contente com o sistema de pagamentos.

Já o Roger Franchini adotou a solução para criar a pré-venda do seu livro Ponto Quarenta, no seu blog. Segundo ele, está vendendo como água no deserto.

Como fazer?

O botão Comprar é a forma mais rápida, simples e segura de colocar seus produtos e serviços à venda em seu site, e transformá-lo (sem precisar de um desenvolvedor) em uma loja virtual. Veja como funciona:

* Ao clicar no botão Comprar seu cliente será direcionado à página de pagamentos do PagSeguro, onde poderá efetuar o pagamento de forma rápida e segura. O cliente nem precisa estar cadastrado no PagSeguro, mas se tiver cadastro, poderá comprar apenas com seu login e senha.

* Após finalizar o pagamento, o cliente é redirecionado novamente ao seu site, no endereço que você informar ao PagSeguro em Retorno Automático.

Você receberá então um e-mail de notificação do pagamento. Os dados referentes à transação: nome, endereço, valor do pagamento, ficam disponíveis em sua conta PagSeguro.

Para inserir os botões Comprar em seu site, preencha os campos e clique em “Gerar código-fonte”. Em seguida, basta colar o código HTML gerado ao lado do produto à venda em seu site.

Observações:

* O botão Comprar permite a venda de um único produto por clique. Portanto, você deverá gerar um código para cada produto à venda em seu site.

* O botão Comprar é exclusivo para venda de produtos ou serviços em sites. O uso em leilões não é permitido por não conter informações sobre o usuário. Para usar em leilões você pode enviar uma cobrança por e-mail, ou enviar um e-mail com um link convidando o comprador a fazer a compra em seu site.

Depois de tudo pronto, cabe a você, empreendedor, divulgar, mostrar, fazer acontecer, criar suas promoções. Nessa hora você pode anunciar no Google, UOL, onde mais você quiser.

2. Desenvolva sua própria loja com ferramentas gratuitas disponíveis na rede

Existem diversos sistemas disponíveis para criação de lojas em seu próprio servidor. O primeiro passo, claro, é ter o seu domínio.

O passo seguinte é escolher qual será a ferramenta. Há soluções de integração com PagSeguro prontas para diversos sistemas:

OsCommerce – Há mais de 200 mil lojas em todo o mundo usando este sistema. Até hoje existem mais de 5 mil plugins disponíveis para estas lojas, tudo de graça, com código aberto sob licença GNU-GPL, permitindo instalar e manter uma loja sem taxas ou custos (caso você entenda um pouco de programação, claro). No mercado há oito anos o OsCommerce é o motor por trás de muitas lojas que você usa/visita.

Joomla + VirtueMart– O VirtueMart é um sistema de criação de lojas feito especialmente para Joomla! (e Mambo), que rodam em PHP. Também são soluções gratuitas que permitem criar lojas e conteúdo com agilidade e administrar todos os detalhes do seu negócio.

Magento – esta é a nova vedete do comércio eletrônico, ferramenta de código aberto modular, que dá flexibilidade a baixo custo, com otimização de busca já embutida.

3. Contrate um desenvolvedor e crie um projeto sustentável

Ok, ok, você é empresário e não quer pensar nas muitas questões técnicas que envolvem a implantação de sua loja on-line. Por isso mesmo o PagSeguro tem parceria com desenvolvedores que têm ferramentas e expertise para entregar sua loja prontinha, como você quer e mantê-la funcionando como deve. Através deles, você tem acesso aos mais de 46 milhões de consumidores que estão na rede. Eles usarão as melhores ferramentas e metodologias para fazer seu negócio crescer no ritmo da internet (em 2008, crescimento de 30% e R$ 8,2 bilhões).

Twestival aceita PagSeguro

Segundo o próprio site, “A missão do Twestival São Paulo é angariar fundos para iniciar o projeto de construção de pelo menos um poço de água em um país em desenvolvimento através da ONG charity: water. A missão Global do Twestival é arrecadar US$ 500.000 em conjunto. Somos todos voluntários e nenhum de nós recebe qualquer tipo de pagamento por esta ação.”

Agora eles aceitam PagSeguro, colabore!

Acompanhe o @PagSeguro no Twitter!

Envie dinheiro para qualquer pessoa, grátis!

Com PagSeguro você pode enviar pagamentos para qualquer pessoa que tenha um e-mail válido, sem pagar nada, ou seja, de graça. Confira a nova página explicando como funciona.

Dá até para enviar um pagamento para quem não tem conta PagSeguro. Mesmo sem a conta, a pessoa pode receber um pagamento, pois será avisado por e-mail. Vai criar a conta, também grátis, e mandar o dinheiro para sua conta bancária, grátis*.

Ou seja, desde o lançamento do PagSeguro, em Julho de 2007 você não precisa mais pagar DOC para enviar dinheiro para alguém que não tenha conta no seu banco. Tinha gente duvidando que isso funcionava, chegou até a apostar, mas não teve jeito. Teve que pagar a aposta…Você já sabe de quem estou falando né?

Atualizado: * O PagSeguro não cobra taxas para transferência de dinheiro para contas dos bancos: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú, Banco Real ABN AMRO e Unibanco. Para os demais bancos, será cobrada uma tarifa de R$ 5,00.

Novos módulos publicados no Guia do Desenvolvedor

Publicamos quatro novos módulos de integração PagSeguro no Guia do Desenvolvedor. Três deles foram desenvolvidos pela comunidade:

Além disso, usuários de OsCommerce que precisam trabalhar com download de arquivos únicos, assinaturas, ou outro produto que envolva a venda de códigos únicos costumam trabalhar com a contribuição da comunidade Unique Virtual Product. Esses desenvolvedores agora contam com um módulo de integração PagSeguro+OsCommerce+VUProd.

Precisamos decidir quais serão os próximos. Se você usa um sistema de e-commerce ou ambiente de programação que ainda não conta com um bom módulo de integração PagSeguro, deixe um comentário.

Aproveite para comentar

ONGs usam PagSeguro

Conversamos com o presidente da Preserva-SP, Jorge Eduardo Rubies, que usa o selo de doação há quase um ano no site da entidade. Embora os valores sejam variáveis, Jorge diz que a OSCIP (Organização Social de Interesse Público), escolheu o PagSeguro pela segurança e facilidade.
“Foi muito simples fazer o cadastro, sem burocracia”, disse Jorge. Os diretores também não tiveram dificuldade em instalar o botão de doação e a única reclamação que têm é por parte dos usuários – que abrem pouco a mão.

O PreservaSP ajuda em movimentos de preservação histórica da cidade, como o tombamento da Casa do Barão da Bocaina, na esquina da Alameda Santos com a Rua Padre João Manoel, em S. Paulo. Colabore!




PagSeguro, a forma mais completa de vender dentro e fora da internet