Ekom: sua loja pronta em segundos, integradinha com PagSeguro

Daniel Bertini tem 32 anos, é webdesigner e programador, trabalhando como consultor autônomo para diversas empresas. Começou sua carreira ainda no tempo das BBS‘s e com o tempo tornou-se um programador e empreendedor da web. Cheio de idéias e projetos, lançou em setembro de 2008, o Ekom. “Eu tinha clientes que desejavam criar lojas on-line e queriam as suas próprias marcas, mas não tinham nenhum conhecimento técnico e não conseguiam desenvolver nas outras plataformas disponíveis. Então criei o projeto e o desenvolvi nas horas vagas (leia-se noites e madrugadas)”, conta.

O Ekom é programado em PHP, e permite criar, sem maiores complicações (como hospedagem ou registro de domínio), uma loja totalmente personalizada e, o melhor, totalmente integrada ao PagSeguro.

“Escolhi o PagSeguro porque já era usuário do sistema e ele é muito bom. Foi o melhor modo de garantir segurança, conforto e confiabilidade tanto para o lojista como para os clientes”, diz Daniel.  Ele oferece quatro tipos de planos para quem deseja usar o Ekom, de acordo com o número de produtos. O grátis, que permite incluir 10 itens; depois há três planos: básico, médio e super, que custam entre R$ 60 e R$ 210, conforme o volume de produtos. Para completar, as lojas geram, no sistema, relatórios de venda e recebimentos, o que ajuda a melhorar o negócio.

É possível também integrar o sistema a sites ou blogs, mas com a assessoria de Daniel – que já está planejando um plugin para o WordPress de forma a facilitar o trabalho.

Para o futuro, Daniel também planeja adicionar atendimento on-line e um portal para dar destaque aos produtos das lojas Ekom.

A dica veio da nossa leitora Vanessa Mantuani.

E-Commerce cresce 30% em 2008 e fatura R$ 8,2 bi

O relatório do e-bit sobre o comércio eletrônico no Brasil, divulgado ontem, dá conta que o mercado eletrônico cresceu 30% em relação a 2007, faturando R$ 8,2 bilhões. Estes ainda não são os números finais de 2008, que devem ser divulgados em breve no relatório WebShopper, da mesma empresa.

Segundo Pedro Guasti, diretor da e-bit e vice-presidente de Estratégia da câmara-e.net, a responsabilidade é do consumidor. “O e-consumidor está cada vez mais atento às possibilidades no canal web. É um meio que oferece múltiplos tipos de informação para os usuários, que acabam se sentindo mais seguros. Esse é um comportamento que evolui ano a ano, pois muitos já tiveram uma experiência de compra pela internet.”

Outro importante ponto a ser ressaltado é a entrada de grandes redes varejistas que trouxeram novos públicos para o comércio eletrônico. “A fidelidade de alguns consumidores faz com que eles associem a marca da loja física a da loja virtual e, chegando ao portal esse consumidor irá se deparar com melhores preços e condições de pagamento, possibilitando a volta daquele consumidor naquela loja”, explica Guasti, que classifica esse fator como mais um dos motivos para o crescimento do canal em 2008.

O tíquete médio do setor fechou em R$ 328. Dentre todos os períodos do ano, o mais lucrativo foi, novamente, o Natal, que registrou vendas de R$ 1,25 bilhões com o tíquete médio em torno de R$ 346.

Para 2009, as previsões são animadoras: enquanto no Brasil o crescimento foi de 30%, o comércio eletrônico norte-amerciano, segundo o eMarketer, cresceu apenas 7% (faturamento de U$ 136 bilhões). Mesmo com uma previsão menor se comparada aos anos anteriores, o comércio pela internet deve alcançar a marca inédita de dois dígitos de bilhão de faturamento, crescendo nominalmente entre 20% e 25% em relação a 2008, alcançando, pelo menos, R$ 10 bilhões.

O Mercado brasileiro pode ganhar muito mais. Depende muito dos empresários – e de alguma inovação. Lojas mais simples, usar meios de pagamentos seguros e confiáveis (PagSeguro, claro) e aumentar a oferta são algumas das muitas possibilidades. Com o crescimento do uso da internet entre as classes C e D também vão se abrir outros e novos mercados. Contem com o blog do PagSeguro para ter informações sobre os números e tendências do mercado.

Vakinha mostra o uso inteligente do PagSeguro


Em dezembro, nasceu um novo serviço na internet brasileira: Vakinha. Criado pela empresa gaúcha Squid, o serviço já nasce integrado ao PagSeguro. Para quê serve o Vakinha? Para gerenciar e arrecadar dinheiro para todos os fins. Quem já tem cadastro no PagSeguro já pode sair usando o serviço sem medo – e quem não tem ganha uma conta de vendedor automaticamente.

É possível criar vaquinhas abertas ou fechadas. As abertas podem ser usadas para doações ou colaborações com fins específicos – como o churrasco da turma, o chá de bebê da amiga, o presente de casamento para o colega de escritório. As fechadas são indicadas para grupos específicos de pessoas e podem ser controladas através do painel de controle.

É um serviço simples e útil já que resolve a questão de gerenciamento que sempre fica na mão de alguém. Agora fica mais fácil controlar e não se corre o risco de perder a conta de quem contribuiu ou não.

O pulo do gato, entretanto, é o uso do PagSeguro, que permite pagamentos por Transferência Eletrônica de Fundos, boleto e cartão de crédito. O serviço tem consigo toda a segurança dos protocolos PagSeguro e garante eficiência e rapidez nas transações.
Update:
Se o usuário esquecer a senha, pode pedir para que seja reenviada ao seu e-mail cadastrado no PagSeguro.

PagSeguro no seu blog – rápido e fácil

Colocar o botão de comprar (ou doação) em seu blog é simples. O primeiro passo é usar o Gerador de Botão Comprar. Ele cria automaticamente o código HTML para o produto.

Em seguida, altere o código gerado, removendo todas as quebras de linha. Por exemplo, o código que estava assim:

Deve ficar assim:

Em seguida, selecione e copie o código.
Não importa qual o seu sistema de publicação, é preciso colar o código na janela de HTML…

Alerta: sofisticação nos crimes virtuais

Saiu ontem o Relatório Cisco de crimes virtuais. Divulgado em San Jose, California, o balanço de 2008 da empresa identifica as principais ameaças de segurança do ano e oferece recomendações para proteger redes contra ataques que se espalham mais rapidamente e tornam-se cada vez mais difíceis de detectar, explorando vulnerabilidades tecnológicas e humanas.

“Este ano, as tendências revelam quão importante é observar todos os elementos básicos de políticas e tecnologias de segurança”, diz Ghassan Dreibi Jr, gerente de desenvolvimento de negócios da Cisco do Brasil. Dreibi Jr recomenda ajuste fino de controles de acesso e a correção de vulnerabilidades conhecidas para eliminar a capacidade de criminosos em explorar falhas nas infra-estruturas.
A solução é simples e sensível: atualizar o sistema operacional e os aplicativos (principalmente antivirus e firewall) tanto nos terminais como na rede. E cada vez mais investir em conscientização e informação para os funcionários.

As principais tendências do relatorio:

  • O número geral de vulnerabilidades anunciadas cresceu em 11,5% em relação a 2007.
  • Vulnerabilidades em tecnologia de virtualização quase triplicaram de 35 para 103.
  • Os ataques estão se tornando cada vez mais mistos e direcionados, incluindo múltiplos vetores.
  • Os pesquisadores da Cisco observaram um crescimento de 90% de ameaças com origem em domínios legítimos, quase o dobro do visto em 2007.
  • O volume de malware disseminado com sucesso via anexos de e-mail está em queda. Ao longo dos últimos dois anos (2007-2008) o número de ataques baseados em anexos caiu em 50% em relação aos dois anos anteriores (2005-2006).

Ameaças na internet

  • Spam: De acordo com a Cisco, Spam é responsável por quase 200 bilhões de mensagens por dia, aproximadamente 90% dos e-mails no mundo. Os Estados Unidos são a principal fonte com 17,2%. Outros países que contribuem para o Spam são Turquia (9,2%), Rússia (8%), Canadá (4,7%), Brasil (4,1%), Índia (3,5%), Polônia (3,4%), Coréia do Sul (3,3%), Alemanha e Reino Unido (2,9% cada).
  • Phishing: pouco conhecido pelos usuários e muito usado pelos malfeitores, phishing é a tentativa de pescar dados e informações de terceiros. Segundo a Cisco, enquanto ‘spear-phishing’ direcionado representa aproximadamente 1% de todos os ataques de phishing, acredita-se que se tornará mais comum conforme criminosos personalizem Spam para tornar as mensagens mais críveis.
  • Botnets: Botnets se tornaram um nicho de atividade criminosa na Internet. Este ano diversos websites legítimos foram infectados com Iframes, código nocivo injetado por botnets que redirecionam visitantes para sites que fazem download de malware.
  • Engenharia social: O uso de engenharia social para induzir vítimas a abrir um arquivo ou clicar em links continua a crescer. A Cisco acredita que em 2009, técnicas de engenharia social aumentarão em número, vetores e sofisticação.
  • Seqüestro de reputação: Mais criminosos on-line estão usando contas verdadeiras de e-mail em grandes provedores legítimos para enviar Spam. Esse ‘seqüestro de reputação’ amplia a capacidade de distribuição e torna mais difícil de detectar e bloquear o spam. A Cisco estima que, em 2008, o Spam resultante desta prática representou menos de 1% de todo o spam global, mas 7,6% do tráfego de e-mail dos fornecedores.

As previsões para 2009:
Em 2009, pesquisadores dessas equipes de segurança observarão de perto as seguintes tendências:

  • Ameaças internas: Funcionários descontentes ou negligentes podem ameaçar a segurança corporativa. A crise econômica global pode levar a mais incidentes de segurança envolvendo funcionários, tornando crucial que TI, RH e outras áreas corporativas colaborem para reduzir as ameaças.
  • Perda de dados: Quer seja por falta de cuidado, violação de hackers ou internamente, a perda de dados é um problema crescente que pode levar a graves conseqüências financeiras. Tecnologia, educação e políticas claras e bem aplicadas de segurança de dados podem tornar o cumprimento mais fácil e reduzir incidentes.
  • Mobilidade, trabalho remoto e novas ferramentas como fatores de risco: A tendência relativa a trabalho remoto e ao uso relacionado de ferramentas baseadas em Web, dispositivos móveis, virtualização, computação “cloud” e tecnologias similares para aprimorar a produtividade continuará em 2009. Será um desafio para profissionais da segurança. Os limites da rede estão se ampliando rapidamente, e o número crescente de dispositivos e aplicativos em uso podem tornar a rede em expansão mais suscetível a novas ameaças.

Para evitar fraudes e o phishing, o PagSeguro não envia links e não usa o HTML nos e-mails de contato com seus usuários. Além disso, protegemos todas as transações com servidores criptografados e seguros. Fiquem atentos em suas empresas às atualizações dos sistemas e softwares e ao treinamento, para evitar invasões, vírus e perda de dados.

Nasce o Startupi

Com apoio PagSeguro e UOL Host, nasceu ontem uma iniciativa única no Brasil: o Startupi, um blog que vai falar de startups e mostrar aos investidores, nacionais e estrangeiros, as iniciativas brasileiras. Venture Capital, a criação de startups, Angel Investors e inovação serão os temas naturais do site.

A iniciativa do grupo Social Smart – que também mantém a Amanaiê e lançará um novo serviço para o mercado mobile em 2009 – será mantida pelo blogueiro Alexandre Fugita, que criou o Techbits, um dos melhores blogs de tecnologia do Brasil.

Foto: Larissa Herbst

Portal do Desenvolvedor tem novidades

O Guia do Desenvolvedor PagSeguro está com novidades que prometem ajudar a aumentar as vendas de todos. Há novos módulos .Net, implantamos o guia completo para OsCommerce e um Ambiente de Testes novinho em folha, disponíveis para todos os usuários.

O Ambiente de Testes, por enquanto, está disponível somente para Linux, mas não é possível adaptar o código fonte para funcionar em qualquer sistema operacional. O servidor de testes foi desenvolvido em Python, mas pode ser usado para testar uma implantação feita em qualquer linguagem.

Wimbelemdon: projeto social com apoio PagSeguro

No bairro de Belém Novo, em Porto Alegre, o fotógrafo Marcelo Ruschel fez nascer, com seu esforço, o projeto Wimbelemdon. Numa quadra de tênis daquele bairro, 40 jovens entre 8 e 15 anos em situação de risco, aprendem tênis e têm todo apoio para seguir os estudos – além de aulas de inglês, inclusão digital e meio ambiente.

Os simpatizantes do tênis e do Projeto WimBelemDon de Porto Alegre e arredores estão convocados a comparecerem à mostra Tênis/Arte: Marcelo Ruschel – Exposição 25 anos de Fotografia . Entre 17 e 23 de dezembro, no Átrio do Bourbon Shopping Country (av. Túlio de Rose, 100), o fotógrafo expõe seus cliques, resultado de 25 anos de fotografia artística pelas quadras de tênis do mundo inteiro. A abertura será dia 17 às 20h, com a presença já confirmada de Fernando Meligeni.

Na mostra, as pessoas terão a oportunidade de ajudar na continuidade do Projeto. Marcelo Ruschel doou várias fotos ao Projeto Wimbelemdom – que se transformaram em produtos e estarão à venda na Mostra. Alguns deles estão à venda on-line, na loja virtual do projeto.

A história

Tudo começou em 2001, quando o fotógrafo Marcelo Ruschel alugou uma quadra de tênis abandonada no Bairro de Belém Novo, em Porto Alegre. Entre 2001 e 2004, contou com a ajuda da tenista Suzana Bertoni dos Santos – que vive nos Estados Unidos e mantém projeto semelhante em Los Angeles, California. Em 2003, o projeto conseguiu o apoio dos tenistas Thomaz Koch e Fernando Meligeni, que se tornaram Embaixadores do Wimbelemdon, divulgando e apoiando o projeto.Em 2005, o projeto foi incorporado a  uma OSCIP, a Sociedade Tênis Educação e Participação Social – STEPS – que é a instituição responsável por manter e desenvolver o projeto,com conselho formado por tenistas, empresários, médico, advogado e alguns voluntários, todos entusiastas do esporte.

PagSeguro, a forma mais completa de vender dentro e fora da internet