Arquivo da tag: comércio eletrônico brasileiro

E-commerce de segmentação: como escolher seu nicho

Hoje em dia está cada vez mais comum nos depararmos com lojas eletrônicas ultra-especializadas em um determinado segmento de mercado. Acessórios para mulheres que praticam determinado esporte, objetos decorativos para pessoas que apreciam determinada cultura ou até mesmo serviços online para trabalhos e funções específicas que você pode contratar por demanda.

Opções não faltam, mas como saber qual é o nicho certo a trabalhar? A primeira coisa que devemos ter em mente é que não podemos temer um mercado só porque já existe agentes atuantes nele. Porém é necessário um levantamento prévio daquele segmento, como histórico, mídias especializadas, impacto na região escolhida, público-alvo dentre outros fatores antes mesmo de colocar a mão na massa.

Escolha um segmento que você tenha conhecimentos prévios e capacidade estrutural (física e capital social) para dar conta dos pedidos, encomendas, entregas e prazos. Conte com o PagSeguro na hora de escolher um meio de pagamento seguro e confiável. Cadastre-se agora mesmo e já comece a investir no seu próprio negócio:

Crédito da imagem: Kevin Dooley via Compfight.

Muita atenção no uso de e-mail marketing no e-commerce

Um dos recursos mais comuns no e-commerce é o e-mail marketing. Entretanto, mesmo sendo uma ferramenta poderosíssima de atuação e conversão, é também um dos mecanismos mais mal utilizados por quem tem um comércio eletrônico, seja na utilização precoce do meio, com pouco conhecimento sobre o público até mesmo ações que violam as regras do setor.

Não é difícil encontrar uma loja virtual que envie e-mails sem a autorização do usuário, caracterizando essa ação como spam. Hoje em dia é muito fácil e simples comprar uma lista com 40 mil endereços, pois isso muitos empresas optam pelas práticas obscuras do que investir em ações que tragam resultados orgânicos.

Outro erro muito comum é tratar o e-mail marketing apenas como um canal de mera divulgação publicitária, com preços e produtos que deixam o contato extremamente poluído. É preciso estar atento às boas práticas, conhecer o comportamento do público e investir em qualidade, já que ninguém dá credibilidade para uma empresa que não investe em suas próprias ações. É comum, até, vermos produtos divulgados no e-mail marketing mas não já não estão mais no estoque. Um erro muito grave e que pode comprometer o noma da empresa.

E para quem leva a sério sue e-commerce, oferecer uma solução segura como meio de pagamento é fundamental. Cadastre-se agora mesmo no PagSeguro:

Crédito da imagem: Horia Varlan via Compfight.

Saiba dosar as informações oferecidas ao seu cliente no e-commerce

Se você trabalha com e-commerce deve ter muita atenção na quantidade de informações sobre os produtos que é repassada aos clientes. Há consumidores que só querem o básico, pois já conhecem o produto e não preciso de detalhes tão aprofundados. Porém há os clientes que estão em busca da maior quantidade possível de informações, já que não conhecem nada sobre uma determinada mercadoria. A questão é: como agradar os dois?

O primeiro passo é oferecer, sempre, o básico das informações. Fotos, descrição e um vídeo simples para agradar os clientes que só estão em busca de uma rápida conferia. Porém ofereça – e deixe isso visível – opções caso o cliente queria uma descrição mais detalhada, com vídeos mais extensos e fotos em altíssima resolução para conhecerem os mínimos detalhes do produto.

Isso é possível de ser obtido por todos os vendedores e empresas credenciados. As grandes marcas oferecem fotos, vídeos e uma descrição tão completa que seria impossível não conhecer afundo o produto. Mas não insira todos os dados, pois pode frustar alguns clientes que querem o básico. Opte por dar uma prévia e, quando solicitado, disponibilize as demais informações.

Outra dica é cadastrar-se agora mesmo no PagSeguro e oferecer a solução mais confiável como meio de pagamento:

Crédito da imagem: Will Lion via Compfight.

O que todo e-commerce precisa ter?

O que todo comércio eletrônico precisa ter? Apesar da pergunta aparentemente simples e fácil de ser respondida, muitos vendedores esquecem de itens básicos, entre eles oferecer produtos de qualidade, preços interessantes, parcelamento, um sistema de pagamento seguro, como o PagSeguro, por exemplo, uma estrutura sólida para logística dentre tantos outros fatores fundamentais para o dia-a-dia de um e-commerce.

Porém itens como fluxo de caixa, balanço e até empreendedorismo são deixados de lado. Nenhum negócio vive sem uma administração saudável e sem um espírito empreendedor, que saiba se reciclar de tempos em tempos, analisando o mercado e se adaptando conforme a música.

Até mesmo o tão aclamado check-list é, muitas vezes, abandonado em virtude da ansiedade de muitos vendedores em obterem lucros exorbitantes de maneira tão rápida. Um bom exemplo seriam os portais e sites que possum um tráfego diário muito grande e, só por isso, acabam oferecendo produtos por acharem que por atingirem um grande público conseguirão vende facilmente. E sabemos que isso não é verdade se por trás não há todo um planejamento.

E para você, o que todo e-commerce deve ter? Vamos montar uma lista básica juntos? O primeiro passo é cadastrar-se no PagSeguro e oferecer a forma mais segura de pagamento online para com seus clientes. Cadastre-se agora mesmo e já comece com o pé direito:

Crédito da imagem: Crystal via Compfight.

E-commerce: invista em conteúdo e ganhe clientes.

Seu e-commerce também pode se valer do marketing de conteúdo para atrair e fidelizar clientes. As redes sociais, por exemplo, podem ser ótimos canais de divulgação da sua empresa, mas podem funcionar como atrativos para que os usuários acabem conhecendo e “caindo” na sua loja virtual. Quer atrair novos clientes? Ofereça conteúdo aliado a bons preços e ótimas opções de pagamento.

Outro ponto que pode ser trabalhado é a utilização de blogs. Produza de maneira frenética um conteúdo de qualidade e gere tráfego tanto para seu site como par ao blog. Um blog com dicas de utilização dos produtos, por exemplo, pode atrair curiosos e gerar, consequentemente, novos clientes. Os consumidores estão cada vez mais exigentes e disponibilizar um atrativo a maios, como um conteúdo bem elaborado, pode ser um ótimo diferencial.

Quer outra dica super válida? Ofereça aos seus clientes uma forma segura e confiável para pagamentos online, como o PagSeguro. Além de oferecer segurança para os seus clientes, a sua empresa ganha credibilidade ao conta com produtos reconhecidos nacionalmente. Cadastre-se agora mesmo:

Crédito da imagem: Jorge Quinteros via Compfight.

Prepare-se para a temporada de Natal

A tempo de pegar a temporada de compras para o Natal, um novo relatório da Pitney Bowes Inc. (NYSE: PBI), com 4 mil consumidores entrevistados na França, Alemanha, Reino Unido e os EUA, indicam os produtos que serão os mais comprados no Natal de 2012. Livros, roupas, revistas, sapatos e eletrônicos asseguram os top 5 globalmente. Suplementos de saúde, produtos pet, produtos de jardinagem, produtos “faça você mesmo” e artesanato foram classificados como os últimos dos itens preferidos para compra online.

Certas tendências de compras online se destacam no Relatório da Pitney Bowes “Consumer Trends in Online Shopping and Shipping”. As compras online, de todo tipo de produto, estão em ascensão nos últimos 12 meses. Livros e roupas estão liderando com 25% dos entrevistados relatando que tiveram mais desses itens entregues em suas casas no ano passado.

Segundo a comScore, “nos primeiros 56 dias da temporada de novembro-dezembro de 2011, mais de 35 milhões de dólares foram gastos online, um aumento de 15% com relação ao período correspondente em 201”. A migração para o e-commerce no mundo também é alimentada por tendências móveis. Dispositivos pessoais com aplicativos da marca estão mudando o comportamento de compra do consumidor de forma dramática. Continue lendo

Preços do e-commerce caíram em setembro

Os preços de produtos do comércio eletrônico registraram queda de 0,40% em setembro ante agosto, de acordo com o índice da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas e do site Buscapé (Fipe/Buscapé). O levantamento, segundo a entidade, reforça a tendência deflacionária dos preços no e-commerce nos últimos 20 meses, já que houve variação positiva apenas em agosto de 2011 (0,59%) e em janeiro deste ano (0,90%).

Das 151 categorias de produtos dos dez grupos pesquisados em setembro, 60 tiveram queda de preço de, em média, 1,05%, enquanto 91 tiveram aumento de preço de, em média, 1%. No período acumulado de 12 meses encerrados em setembro, o índice FIPE/Buscapé registrou queda de 9,64%, com recuo em nove dos dez grupos.

Entre os grupos avaliados no mês passado, cinco apresentaram queda de preço: eletrônicos (-1,98%), telefonia (-1,14%), fotografia (-0,37%), cosméticos e perfumaria (-0,17%) e informática (-0,05%). Outros cinco grupos registraram alta nos preços, com destaque para o brinquedos e games, com aumento de 3,02%, graças à proximidade do dia das crianças.

Via: Divulgação. Crédito da imagem: Andres Rueda via Compfight.