Arquivo da tag: consumo

10 dicas de segurança nas compras online

As vendas online devem ter crescimento superior a 30% nesse Natal. A estimativa é da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) e da empresa e-Bit, que preveem que as lojas eletrônicas tenham faturamento de R$ 1,63 bilhão no período natalino de 2009 – 30% de aumento em relação ao ano passado, sem contar sites de leilão e as passagens aéreas. De acordo com pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP), 21% das compras de Natal deste ano serão feitas pela internet — em 2007, a participação da web foi de 11,6%.

O aumento do número de internautas, de sua confiança em relação ao meio e o fato de as pessoas perceberem as vantagens de uso da internet para negócios e transações estão entre os motivos que impulsionaram o crescimento do e-commerce, segundo Djalma Andrade, coordenador do Movimento Internet Segura. Além disso, o índice de confiabilidade dos internautas brasileiros também tem aumentado.

Além da comodidade, a internet atrai esses consumidores pelos preços mais em conta e as facilidades de pagamento oferecidos por boa parte das lojas virtuais. Este é o mesmo chamariz utilizado por golpistas para atrair o consumidor desavisado e, com isso, roubar informações, dinheiro ou dados. Por isso é preciso atenção à loja.

Primeiro caso: evite ofertas muito abaixo do preço de mercado – variações entre 10% e 20% são normais. Se o produto estiver muito mais barato, toda cautela é pouca. A segunda tentativa de golpe mais comum é: você nunca comprou na loja Y e recebe um e-mail acusando compra ou pedindo confirmação de dados. APAGUE. Com certeza é golpe. Na dúvida, é melhor falar com o SAC da loja, acrescenta Godinho.

Para evitar riscos e ameaças na hora das compras de Natal, a Trend Micro dá dez dicas de segurança para os internautas:

1. Evite comprar em sites desconhecidos

2. Certifique-se que o site oferece proteção por meio de recursos como SSL – Secure Socket Layer

3. Utilize um número de conta virtual, que cria um código aleatório de cartão de crédito — o que torna virtualmente impossível o roubo de dados bancários

4. Verifique as políticas da loja em relação à localização física, entrega, formas de pagamento, garantia do produto e condições de troca

5. Mantenha registro de toda a troca de e-mails referente à compra

6. Não confie em e-mails que solicitam confirmação de dados

7. Preste atenção nos e-mails recebidos e tenha cuidado ao abrir anexos ou clicar em links de mensagens recebidas, ainda que elas aparentemente tenham sido enviadas pela loja virtual na qual você é cadastrado. Os e-mails podem esconder vírus ou programas que visam capturar informações importantes, como dados de contas bancárias

8. Leia as opiniões sobre a empresa e os produtos que comercializa

9. Muita atenção na hora de digitar sua senha nos pagamentos com cartão de crédito e débito. Confira se o campo em que você está digitando sua senha é mesmo o destinado à senha

10. Atualize sempre o seu sistema operacional e tenha um software de segurança (antivírus) sempre atualizado.

Vocês entenderam porque comprar com o PagSeguro é mais simples? As nossas lojas e vendedores oferecem conforto, segurança e todo mundo sai ganhando.

Boas compras e feliz Natal!

Um passo a passo para fidelizar seus clientes de e-commerce

bons negócios

Nós já falamos por aqui que é fundamental conhecer seus clientes. E também acompanhar as taxas de retorno ao seu site. Uma das questões fundamentais é saber se a maioria volta. Cliente fidelizado é algo que merece o trabalho e o tempo de seu e-commerce. Este é o maior segredo para conseguir um sucesso consistente. E há muitas formas práticas de conseguir isso. Implantar pelo menos metade dos conselhos abaixo vai lhe dar bom retorno.

  1. Confirme o recebimento do produto e peça um retorno sobre o produto após a entrega.
  2. Envie junto com a mercadoria sua política de troca e devolução. Não basta estar online, é preciso ser claro.
  3. Tenha pronto um projeto de logística reversa eficiente para retirar produtos com defeito. Isso demonstra seriedade e atenção ao cliente – além de ser lei…
  4. Responda a todos os e-mails até no máximo 24 horas após o recebimento.
  5. Invista em newsletters não comerciais, por exemplo, de bonificação pelo aniversário…
  6. Conheça seus números e trabalhe sobre eles sempre. Você sabe quais são as regiões que mais compram em seu site? Quais os produtos mais vendidos nelas? E as razões do seu sucesso?
  7. Acompanhe os passos dos clientes na loja. Não importa qual sistema você use, mas esta informação vale ouro.
  8. Torne-se referência em informação sobre o seu produto. Para isso, é preciso criar uma área de conteúdo mais abrangente onde seus clientes possam encontrar respostas para as suas dúvidas.
  9. Você informa seus clientes sobre as novidades em sua loja? Isso é fundamental para o seu retorno.

Estes são apenas alguns pontos importantes. Também há que se pensar em diferenciais frente à concorrência e programas de fidelidade. O ideal, quando sua taxa de retorno é baixa (mais de 80% dos clientes não voltam), é fazer um bom planejamento e trabalhar na fidelização.

Bons negócios!

Imagem: Álvaro Canivel, em CC

Em São Paulo, lei garante entrega com hora marcada

caminhão sedex

Publicado no Diário Oficial em novembro, o decreto 55.015 do Governo do Estado de São Paulo estipula que os fornecedores de bens e serviços do Estado de S. Paulo devem fixar data e turno para entrega de produtos ou realização de serviços. Seu e-commerce está pronto para atender à lei? O decreto diz que a data e o turno devem ser estipulados no ato da contratação (em nosso caso venda) e as entregas devem acontecer em três turnos: pela manhã, das 7 às 12 horas; à tarde, das 12 às 18 horas; e à noite, das 18 às 23 horas.

E, claro, vale para o e-commerce. Na prática, quem está com a logística bem azeitada não tem muito com o que se preocupar. O ideal é deixar tudo muito claro os contratos de entrega para evitar problemas. Portanto, revise o seu checkout e deixe todos os detalhes muito claros para cada modalidade que adota.

Os consumidores que não forem informados sobre a data e o turno da entrega ou não receberem o bem ou serviço no prazo e endereço estipulados podem procurar o Procon-SP para registrar a sua reclamação. Os fornecedores poderão ser multados de acordo com as normas do Código de Defesa do Consumidor. O valor das multas varia de R$ 212,81 a R$ 3.192.300,00 de acordo a gravidade da infração, a vantagem obtida pelo infrator e sua condição econômica.

foto: Bruno Barreto em CC

Consumidor confia no comércio eletrônico

trust_rogiro

O Índice de Confiança do e-consumidor, desenvolvido pelo e-bit em parceria com o Movimento Internet Segura (MIS), revela que 86,59% das pessoas que fizeram compras pela internet em setembro estão satisfeitas com o comércio eletrônico brasileiro. Este desempenho somado aos meses de julho e agosto garante à segunda metade do ano, período com volume maior de compras, uma média de satisfação 0,85 pontos percentuais superior ao registrado no primeiro semestre.

De janeiro a junho de 2009 a média de pessoas satisfeitas com a web como canal de vendas ficou em 86,11%. Enquanto isso, nos três primeiros meses do segundo semestre a média está em 86, 96%. O resultado de setembro (86,59% de satisfeitos) revela uma ligeira queda (0,7 pontos percentuais) em relação ao patamar alcançado no mês de agosto, (87,29%).

foto: Confiança, por rogiro, em CC

Tecnologias de pagamento móveis pedem passagem

Estudo do Gartner group avisa: o número de pessoas que usam celulares para fazer pagamentos no mundo inteiro saltará para 73,4 milhões neste ano. Caso este número se confirme o aumento será de 70,4%. Em 2008, foram 43,1 milhões de usuários. A consultoria estima que os pagamentos móveis chegarão a 190 milhões em 2012 – 3% do total de usuários de telefonia móvel do mundo.

O Gartner projeta que a região da Ásia/Pacífico e Japão manterá a maior participação de mercado até 2012. Na Europa é esperado um aumento de 0,9%, para 2,5%, no período. Já na América do Norte, o número deve passar de 1,7% para 3%. Segundo a pesquisa Europa Oriental, Oriente Médio, África e América Latina também terão cerca de 3% dos pagamentos via celular.

Via TI Inside

PagSeguro permite oferecer desconto para pagamento à vista

É legal um vendedor cobrar preços diferentes para o pagamento à vista e outro para pagamento a prazo, com cartões de crédito? Depende. Você pode dar desconto sobre o preço anunciado quando o pagamento é feito à vista. O varejo costuma eliminar os custos do processamento e prazo do cartão de crédito, e repassam essa vantagem ao consumidor.

Essa prática é legal. E ajuda a vender mais. O Código de Defesa do Consumidor proíbe a veiculação de informações que induzam o consumidor ao erro, a respeito de qualquer caráter do produto – inclusive seu preço. Dessa forma, não é permitido anunciar preços diferentes para o mesmo produto, nem cobrar valores maiores para o pagamento feito através de um meio específico de pagamento.

Ou seja, não há nada errado em anunciar um preço, e oferecer descontos para determinadas formas de pagamento. Trata-se de uma promoção simples e legal.

Para facilitar essa oferta, o PagSeguro lançou o Parcelamento Sem Acréscimo com desconto para pagamento à vista, funcionalidade que permite ao vendedor assumir as taxas de parcelamento, e ativar o desconto para pagamento à vista. Use o simulador gratuito para ver como vai ficar o seu checkout com desconto para pagamento à vista, e se quiser, nos avise qual foi o ganho percentual em vendas, para contar seu case aqui no blog.