Arquivo da tag: e-commerce brasileiro

CicloMPE.net em Belo Horizonte

Ciclo MPE

No dia 26 de maio, o Ciclo MPE, promovido pelo SEBRAE com apoio do PagSeguro estará em Belo Horizonte. Detalhe: você saberá tudo sobre e-commerce sem gastar um único centavo – é grátis.

A programação:

9h às 9h30 – Introdução – O que é Comércio Eletrônico? Fluxo do e-commerce.

9h30 às 12h00 – Painel I – Infra-estrutura do e-commerce: Registro de domínio (VERISIGN), hospedagem (UOL HOST) e lojas virtuais (CORREIOS, UOL HOST), vitrine virtual (TERRA).

12h às 13h30 – Almoço (não incluso).

13h30 às 15h00 – Painel II – Meios de pagamento e gestão de risco: Cartão de crédito (REDECARD), pagamento on-line (PAGSEGURO UOL) e gestão de risco (CLEARSALE).

15h00 – Palestra sobre Logística: Entrega dos produtos (CORREIOS).

15h30 às 18h00 – Painel III – Webmarketing: Links patrocinados (GOOGLE e UOL LINKS), comparação de preços (SHOPPING UOL), cruzador de negócios (SEBRAE).

18h00 às 18h30 – Painel IV – Exportação e linhas de financiamento: Mercosul Digital, portal de exportação e financiamento (BANCO DO BRASIL) e entrega internacional (CORREIOS).

Inscrições estão abertas e as vagas são limitadas.

O Ciclo MPE.net em Belo Horizonte acontecerá no Auditório do Sebrae – Rua Av. Barão Homem de Melo, 329, Nova Suíça, Belo Horizonte/MG

Bate-papo sobre e-commerce em S. Paulo

126302310_7dd22d1e11

O “Bate-papo sobre e-commerce” começou em Março de 2008 como uma rede social focada no desenvolvimento do comércio eletrônico brasileiro.  Em Maio de 2009 torna-se o “Bate-papo sobre e-commerce e mídias socias“, com o propósito de atrelar o poder das mídias sociais as vendas na internet.

A quem se destina?

Empreendedores que desejam iniciar um negócio na internet e precisam saber por onde começar ou para aqueles que precisam fazer ajustes de percurso em seus negócios, além de estudantes e interessados em negócios digitais de um modo geral

Continue lendo

Internet e comércio eletrônico não chegam ao interior

3403392982_181ae621c7Os serviços de comércio eletrônico atingiram em 2008 apenas 7% dos brasileiros que vivem em regiões rurais, contra 17% dos que vivem em regiões metropolitanas, segundo complemento da pesquisa TIC Domicílios 2008, realizada pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br).

Os dados, coletados entre setembro e novembro de 2008, reiteram as dificuldades de inclusão digital daqueles que vivem em áreas rurais, analisadas pela primeira vez na pesquisa TIC Domicílios 2008.

No geral, a proporção entre usuários que já buscaram preços online e já compraram produtos é praticamente de três para um – enquanto 44% já afirmaram terem comparados preços pela internet, apenas 16% admitiram terem realizado compras em serviços de comércio eletrônico.

O CETIC.br aponta, novamente, para a relação entre inclusão digital e condição sócio-econômica no Brasil: entre pessoas da classe A que moram em cidades, 80% dos respondentes já compraram preços online, contra apenas 30% dos que moram em áreas rurais.

O complemento ao TIC Domicílios 2008 mostra também que 15% dos internautas brasileiros não têm contas de e-mails. Em áreas urbanas, a quantidade de usuários com e-mails aumentou, atingindo 86% em 2008, graças aos serviços gratuitos – 80% dos entrevistados tinham um e-mail de graça. Os serviços pagos mostram tendência de queda.

A dificuldade de acesso dos moradores rurais também fica clara no baixo contingente de acesso a serviços de governo eletrônico – apenas 7% nas áreas mais distantes dos grandes centros, contra 25% dos que moram em regiões metropolitanas. Na média, 22% dos brasileiros utilizam algum serviço público pela internet.

Via Cetic.br

Imagem: Internet na Biblioteca Nacional, por swperman, no Flickr, CC

13,2 milhões de brasileiros compram na internet

imagem:SXC
imagem:SXC

Segundo a 19ª edição do relatório WebShoppers realizado pela consultoria e-bit, divulgado nesta terça-feira (17/03), o número de consumidores brasileiros que comparam pela internet chegou a 13,2 milhões em 2008, aumento de 39% em relação a 2007.

O volume de e-consumidores foi alimentado pela crescente participação da classe C nas compras online. Segundo a e-bit, famílias com renda média mensal de até 3 mil reais representaram 60% dos novos e-consumidores em 2008. A participação da classe C no comércio eletrônico brasileiro cresceu de 37% em 2007 para 42% em 2008.

O perfil do consumidor online também passou por modificações. Em 2008, a presença das mulheres ultrapassou a dos homens em volume de compras online e agora representa 51% dos e-consumidores. Os internautas também

O e-bit já havia divulgado em janeiro que o e-commerce brasileiro movimentou 8,2 bilhões de reais durante o ano passado, crescimento de 30% em relação a 2007. “O valor ainda seria mais alto (*,6 bilhões de reais) se não fosse a crise econômica. Mesmo assim houve um crescimento [anual] significativo”, observa Pedro Guasti, diretor geral da e-bit. A expectativa para 2009 é que o e-commerce brasileiro movimente 10 bilhões de reais.

Agora, a consultoria estima que o setor deverá movimentar 4,2 bilhões de reais até julho, acréscimo de 800 milhões de reais em relação aos seis primeiros meses do ano anterior. A soma do primeiro semestre de 2009 supera o faturamento do e-commerce em todo o ano de 2006, compara Guasti.

Para o final do semestre, a consultoria espera que o Brasil ultrapasse a marca de 15 milhões de consumidores online. Para o final do ano, a expectativa é que o número chegue a 17,2 milhões de compradores online.

Entre as categorias mais populares entre os brasileiros em 2008, a de Livros mantém a ponta folgada, com 17% de participação, seguida por Saúde e Beleza (12%), informática (11%), Eletrônicos (9%) e Eletrodomésticos (6%).