Arquivo da tag: entrevista

Entrevista com Mafê Mavromati do Panólatras

 

 

Mafê Mavromati é médica, ainda trabalha na sua área e gosta de empreender. Com uma filha especial de um ano e onze meses, ela quer muito ser dona do seu nariz e ficar mais em casa. Como já teve uma loja de bijus online, resolveu colocar no ar um novo projeto, o Panólatras. Criado com o SitePX, uma nova ferramenta brasileira de publicação que tem integração nativa com o PagSeguro, Mafê estreou há pouco mais de uma semana e já está vendo o resultado aparecer.

Continue lendo

Cruz e Ferreira usa e aprova o PagSeguro

A Cruz e Ferreira, empresa de Jacareí dirigida pelo jornalista Armindo Ferreira e suas sócias Juliana Cruz e Rosangela Oki, trabalha em comunicação digital no Vale do Paraíba, tanto produzindo conteúdo e realizando treinamentos, como organizando eventos. Armindo Ferreira conversou conosco sobre o uso que fazem do PagSeguro.

“A história com o PagSeguro começou em 2009, quando junto com um colega professor, criei o Social Media Vale do Paraíba. A ideia é trazer para cá informação sobre comunicação digital, afinal para qualquer coisa, a gente tinha que ir para São Paulo”, conta Armindo. Eles usaram o PagSeguro como meio de pagamento do evento e foi muito bom.

“Eu sou evangelizador do WordPress por aqui. Adoro a plataforma, acho muito boa e faço a maioria dos sites – inclusive o meu – com ela. Graças a um dos plugins do PagSeguro, o Shopping Cart, eu não precisei de programador para usar o PagSeguro: basta instalar o plugin e colar duas linhas de código ou um widget que o carrinho está pronto. A integração é perfeita e funciona muito bem”, diz.

A partir daí, Armindo se entusiasmou. Ele usa o sistema para gerenciar o pagamento de seus treinamentos e também para todos os eventos que inventa no interior. O último foi o Comunicavale 2011, que reuniu profissionais locais e de outras cidades do Brasil para discutir comunicação. “PagSeguro é dor de cabeça zero”, diz Armindo.

E a gente, aqui, fica feliz por ajudar mais um empreendedor a ter sucesso – e espalhar conhecimento por aí.

Hortelã Pimenta – uma história de sucesso com PagSeguro

Hortelã Pimenta

Susana Emm é agrônoma e mora em Ribeirão Preto. E tem uma ótima história para contar sobre e-commerce: a da Hortelã Pimenta – que se mistura com a da sua vida. Engenheira agrônoma, há dois anos enfrentou muitos problemas com a sua produção agrícola. Estava super chateada, dirigindo, quando viu uma placa “curso de patchwork”. Desde criança, Susana sempre gostou de trabalhos manuais e tinha vontade de fazer patchwork, principalmente por causa do filme Colcha de Retalhos.

Inscrita, começou a fazer patchwork, que era “só”uma terapia maravilhosa. “A gente tomava café, conversava e ao final eu saía com uma peça linda”, conta. E foi a mania de presentear que trouxe a ideia de uma loja virtual. Primeiro no Etsy, portal gringo. Totalmente descrente, Susana começou a receber pedidos e mandar suas peças para outros países. Então ela descobriu o Elo7 e também montou sua loja lá.

No Natal daquele ano, a Hortelã Pimenta recebeu tantas encomendas que precisou contratar uma pessoa para ajudar. Afinal, o patchwork ainda acontecia só à noite. “Além de vender no varejo comecei a trabalhar também com atacado”, conta. “Um dia eu estava passando por uma rua em Ribeirão Preto e vi um lugarzinho que era a cara do meu trabalho, passei na imobiliária e no mesmo dia acabei decidindo alugar. Mais uma loucura, pois eu não havia planejado abrir uma loja, aliás nunca gostei de comércio”.

Minha ideia passou a ser consolidar a marca, fiz o registro e inaugurei a loja física! Minha mãe também trabalha com artesanato em mdf e passou a produzir peças direcionadas para a marca e o estilo Hortelã Pimenta. Enfim, paixão e hobby viraram trabalho e agora o objetivo é cada vez mais consolidar a marca e mesmo que a escala de produção esteja aumentando, quero manter a linha artesanal.

Qual plataforma você está usando? Foi difícil configurar?
Agora era preciso um site, um blog e uma loja virtual própria. Tive as idéias, mas pedi a ajuda da Lícia da Scraporama, porque não sabia mexer nas configurações – apesar de saber um tanto de internet. Ela foi demais, captou minhas idéias, estilo… A plataforma que estamos usando é a Virtuemart e é super fácil de trabalhar mesmo pra quem é meio “leiga”como eu. Tenho total autonomia para colocar os produtos, fotos – administro a loja sem problemas.

Desde o início foi fundamental trabalhar com o PagSeguro. Enquanto cliente sempre dou preferência para as lojas que trabalham com PagSeguro, é mais seguro para quem vende e para quem compra, é fácil de trabalhar, passa credibilidade, além de proporcionar a possibilidade de pagamento com cartão de crédito. O único ponto negativo é o fato de que a taxa é calculada sobre valor total incluindo o frete.

Como estão as vendas?
Nossas vendas foram muito boas no final do ano, em janeiro as vendas diminuíram bastante. Em janeiro tiramos os produtos da loja no elo7 deixando apenas os produtos em promoção e com isso as clientes do elo7 estão fazendo automaticamente os pedidos em nossa loja virtual própria.

Uma coisa interessante é que as vendas sempre aumentam de acordo com a frequência que movimentamos os produtos na loja.

Quais os objetivos?
A nossa meta sempre é estar à frente produzindo com qualidade, ideias originais e tecidos com estampas diferenciadas. Quanto à loja em sites especializados como elo7 ainda é preciso que os artesãos tenham maior consciência com relação aos preços, pois algumas vezes atrapalham o mercado ao colar preços abaixo do custo. Também é importante que o nível dos trabalhos seja de qualidade para que os clientes não tenham uma decepção ao receber a compra e deixe de comprar das outras lojas.

Arte da Amazônia para o mundo: Mari Bueno

Mari Bueno

A artista plástica Mari Bueno mora em Sinop, Mato Grosso, à beira da Floresta Amazônica, há 32 anos. Há 10 anos atrás criou o seu primeiro site, um mostruário com suas obras – que sempre gerou visitas e consultas. Há coisa de um ano, uma amiga de Londrina, Paraná, sugeriu que também vendesse suas obras online. Demorou um pouco, mas em dezembro, Mari colocou no ar seu novo site, em que vende as suas telas e suvenires em que elas são aplicadas. A temática principal é a Amazônia e também a arte sacra, em que acabou de se especializar.

Além de administrar sua galeria em Sinop, Mari também está pintando a Catedral da cidade. O trabalho, de 400 m2, coloca a artista sobre os andaimes todos os dias. Para completar, agora ela também cuida da administração do site que, segundo ela, “está em fase de experiência”, com a ajuda de uma nova funcionária, uma administradora contratada só pra isso. Se as vendas ainda não chegaram ao que Mari quer, com o e-commerce, conquistar o Brasil e o mundo com a arte inspirada na Amazônia.

O site, muito bem estruturado e integrado com o PagSeguro, transformou a administração da galeria. “Agora também temos que olhar a logística, transporte, pagamento e há mais contato com o cliente”, conta. Aliás, ela faz questão do feedback dos clientes e visitantes para melhorar o serviço. O trabalho, executado pela mkx de Londrina, tem como objetivo não só vender, mas também divulgar o trabalho de Mari – que já participou de diversas exposições.

Leilão divertido com o Mukirana.com

Mukirana Leilões

Os sites de leilão não são nenhuma novidade na internet. Arrematar produtos por um preço camarada é interessante para quem está online, sem dúvida. Gerenciar o negócio e garantir sua idoneidade é outra questão, absolutamente diferente. No Mukirana.com você compra pacotes de lances e, ao perceber um produto que deseja, pode começar a fazer ofertas antes mesmo do cronômetro disparar. O sistema permite a disputa de um produto por vez e coloca no ar as ofertas disponíveis para três dias. O site trabalha com produtos de lojas conceituadas (Submarino, Americanas e Shoptime) e garante entrega, desde que o usuário faça o pagamento do preço arrematado e do frete (que fica disponível antes mesmo do leilão começar). Veja nossa entrevista com Laurindo Neto sobre o negócio.

Sites de leilão têm um efeito de atrair e ao mesmo tempo causar desconfiança. Esta é uma barreira para o usuário comum?

Laurindo Neto: O usuário comum tem um receio no início pelo novo, mas oferecemos diversos sistemas de seguranças contra fraudes que faz com que o usuário fique mais confiante. A pontuação do Mukirana.com no PagSeguro, que é o sistema de pagamentos mais confiável no Brasil, é de 100% – e isso influi muito na credibilidade dos internautas em nossa empresa. Outras formas de aproximarmos nossos usuários é através de nossa comunidade no orkut (hoje com pouco mais de 1.400 membros), que é aberta e sempre tem relatos das experiências de nossos usuários. O twitter do Mukirana.com já possui mais de 12.500 seguidores e tem sido um dos principais meios de interação.

Outra dúvida: qual é o preço que o usuário realmente paga? Continue lendo

Entrevista: Alexander Ferraz Taboa, do Peixe Urbano

Peixe Urbano

Lançado em março deste ano, o Peixe Urbano inaugurou uma nova tendência no e-commerce brasileiro: oferta de serviços com desconto para os clientes cadastrados. Exemplo? Três meses de DVDs em casa da Blockbuster online com 98% de desconto – de R$ 149,70 por R$ 3 (sim, três, reais!), durante os primeiros três meses. Este é o grande diferencial do Peixe Urbano: oferta de serviços, coisa rara no e-commerce. Inspirado no GrupOn, serviço norte-americano, tudo começou no Rio de Janeiro – e a expansão será rápida: o serviço já está em São Paulo e Curitiba e até o fim de 2010, estará em todas as grandes cidades brasileiras. Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, Salvador e Recife serão as próximas.

Quem conversou conosco foi Alexander Ferraz Taboa, 30 anos, fundador do Peixe Urbano junto com Julio Vasconcelos. Alex é filho de uma brasileira com um americano – sim, ele tem sotaque – e viveu nos Estados Unidos até poucos anos. Veja o que ele nos contou sobre o serviço:

Como está a aceitação do Peixe Urbano?
No Rio, temos uma fila de espera de um mês para as ofertas. Em São Paulo estamos crescendo. A grande surpresa foi a demanda de Curitiba, muito grande se pensarmos no tamanho da cidade e da população.

Vocês contam o número de usuários?
Não, mas eu posso dizer que desde que entramos em operação o número de cadastros dobra todos os meses.

Qual o tamanho da equipe?

A equipe técnica, para manutenção do site e dos servidores não precisa ser grande. Mas temos equipes de vendas grandes em cada cidade em que estamos ou estaremos.

Como vocês fizeram o marketing do serviço? Continue lendo

Alianças Reisman entregando sonhos com segurança

Reisman

A Reisman Joalheiros é hoje uma das principais empresas fabricantes de alianças de casamento, noivado e jóias do Brasil. Fundada em 1967, em São Paulo, a empresa também está em São José dos Campos desde 1984. Conhecer seu produto e seu valor para seus clientes é o grande trunfo da Reisman que hoje atende todo o País através de sua loja virtual. O grande diferencial? Além do certificado de garantia do material (metal e pedras), a joalheria funciona todos os dias. O atendimento acontece de segunda a sábado, das 10h às 22h, e, aos domingos, das 14h às 20h. Quem conversou conosco foi o gerente de atendimento online, Maximiliano Ribeiro.

Há quanto tempo vocês estão com a loja virtual?
Maximiliano: A loja virtual existe há 2 anos. A Reisman Joalheiros, no entanto, tem com mais de 40 anos de mercado.

Qual a maior dificuldade do comprador?
Por se tratar de um produto especial e de grande valor sentimental, muitos compradores ficavam receosos na hora de fazer a compra online. Alguns se incomodavam pelo fato de não ver o produto pessoalmente, outros ficavam temerosos em não receber as alianças.

Por isso no processo de planejamento da loja virtual Reisman, buscamos antes entender nossos clientes virtuais. Fizemos isso tentando identificar todas as suas necessidades e assim superar suas expectativas, de forma a manter nossa filosofia de trabalho : “A satisfação do nosso cliente está acima de qualquer venda.”

O PagSeguro foi uma ferramenta indispensável para completarmos os requisitos exigidos para o nosso e-consumidor. Não tivemos dúvidas ao escolher o PagSeguro entre outras opções de intermediação online, devido a credibilidade da marca UOL.

Sobre o atendimento, buscamos investir em tecnologia online de forma a efetuar um atendimento ágil e de qualidade na loja online. Montamos uma forte equipe de atendimento e hoje contamos com mais de 5 operadores que realizam atendimento todos os dias em nosso site, inclusive domingos e feriados.

Para melhor visualização das peças, nos preocupamos com a qualidade das fotografias, bem como com a descrição do produto. Além disso, por contarmos com loja física, oferecemos ainda aos nossos clientes a opção de ir ver o par escolhido de perto. Tudo isso para que o casal fique o mais satisfeito possível com sua compra. O preço de nossas alianças, em geral 40% mais baixos, também pesa muito na hora de nossos clientes optarem pela compra online.

Quem é o público alvo de vocês?
Casais que procuram um par de alianças personalizado, que lhe pareça único e que buscam preços diferenciados. Com a popularização do uso internet e com o auxilio de meios de pagamento seguro como o Pagseguro, temos atingido até os casais que antes não imaginavam adquirir produtos pela web. É o caso de muitos compradores de alianças bodas de prata e bodas de ouro. Essa procura fez com que a Reisman Joalheiros desenvolvesse ainda mais a linha de alianças de bodas.

As alianças são o principal produto?
Sim, por sermos fabricantes temos a possibilidade de oferecer produtos únicos para nossos clientes, que dificilmente é encontrado em alguma joalheria. Comprando conosco os clientes conseguem adquirir suas alianças diretamente do fabricante, sem intermediários. Essa vantagem é totalmente repassada para os clientes, no preço. Além das alianças fabricamos também anéis de noivado.

Qual a cidade mais estranha/inusitada para onde já mandaram alianças?
Como nossos produtos são extremamente diferenciados, casais de diversos lugares do Brasil optam em efetuar a compra online. Temos clientes de todas as extremidades do Brasil. Poderíamos fazer uma lista de lugares inusitados de clientes que já adquiriram nossos produtos, abaixo alguns exemplos:

  • Gandu, BA
  • Igaci, AL
  • Pacajá, PA
  • Jataí, GO
  • Quixerê, CE
  • Candeias, BA
  • Osório, RS
  • Colinas do Tocantins, TO
  • Santarém, PA

Qual o resultado do trabalho online da Reisman?
Por meio da nossa equipe de envio, recebemos o feedback de todos os nossos clientes. É extremamente gratificante para a Reisman Joalheiros saber que fazemos parte da vida de nossos clientes de uma maneira positiva. Os casais se mostram muito satisfeitos. Veja as mensagens:

  • “Fizemos a escolha certa, o produto não poderia ser melhor”,
  • “Não imaginávamos que o produto seria ainda mais bonito pessoalmente”
  • “Paguei menos da metade do preço em minhas alianças em comparação com as joalherias da minha cidade e não achei nenhuma aliança aqui que pudesse se comparar com a qualidade e personalização das alianças Reisman”.

SOS Fauna: resgatando animais silvestres

SOS Fauna

O PagSeguro sempre tem prazer e orgulho de apoiar ONGs e seus desafios. Uma delas é a SOS Fauna Brasil, mantida por Marcelo Pavlenco Rocha, ex-comerciante, de 46 anos e seu “exército de Brancaleone”, como ele define. O trabalho desta turma é garantir que animais silvestres apreendidos sejam bem tratados e reintegrados ao seu habitat natural.

Tudo começou em 1999, mais ou menos, quando Marcelo ainda era comerciante e vivia no Capão Redondo, bairro da periferia paulistana. Por lá, conviveu com a “malandragem e tudo o que não presta”, como diz. Graças à proximidade com pessoas que praticavam tráfico em pequena e média escala, passou a levantar informação sobre locais de cativeiro e repassá-las, anonimamente, às instituições responsáveis.

De lá para cá, Marcelo reuniu muitas decepções e algumas boas vitórias. Conseguiu flagrantes do tráfico de animais, lutou para colocar os traficantes na cadeia. Tudo isso praticamente sozinho, algumas vezes com apoio de outras ONGs, outras com a resistência de gente que acha que sabe mais.

“Dizem que para cada animal apreendido, morrem 10. Mentira. Para o traficante, o bicho é dinheiro, ele não quer que sua mercadoria morra”, conta. A boa fase da SOS Fauna veio em 2004, quando recebeu dez mil dólares do Discovery Channel para produzir um documentário sobre seu trabalho. Como resultado, Marcelo largou tudo, mudou-se para Juquitiba, no Vale do Ribeira, em São Paulo, e criou o centro de manejo. Pela primeira vez conseguiram levar 30 aves de volta para a Bahia.

“Reintegrar não é tão simples quanto pode parecer. Há uma questão sanitária, mas também a genética. É preciso muito cuidado”, diz. De 2004 para cá, Marcelo luta para conseguir os cerca de vinte mil reais de manutenção do centro de manejo e continuar mandando os animais de volta a seus habitats. “Ainda trabalhamos as conseqüências. É preciso agir também nas causas”, conta. Pobreza, cultura e falta de políticas firmes impedem que o fluxo de animais das regiões de captura – uma das principais é a Bahia – pare.

Graças à descoberta do PagSeguro, agora Marcelo quer implantar um programa de associados bem gerenciado e conseguir ter um fluxo financeiro mais consistente. Não há como esquecer os parceiros que o ajudam a manter o trabalho: a UPS e a Pizzaria Murimarelo, de S. Paulo, que permite o uso de seu salão para eventos beneficentes.

Vale a pena colaborar. Você pode se associar ou simplesmente enviar qualquer contribuição através do nosso sistema.