IE9 contra o e-commerce?

O Internet Explorer 9 virá com o recurso de “proteção contra rastreamento”, para impedir que sites capturem informações dos internautas. Esta novidade pode prejudicar o comércio eletrônico. Claro que, antes de ser executado, o recurso terá que ser ativado pelo usuário – que incluirá a lista de sites impedidos de efetuar a operação. Qualquer um – pessoas, empresas e grupos de proteção ao consumidor – poderá manter as listas, e o usuário poderá incluir tantas listas quantas desejar.

Ao mesmo tempo em que aumenta o controle do usuário sobre uso de suas informações online, o sistema tem um limitador: Os sites que forem bloqueados não terão seu conteúdo liberado. O recurso, apresentado em em webcast, bloqueia conteúdos online fornecidos por sites de terceiros.

Ou seja, sem rastreamento, sem visualização plena. As listas são baseadas em assinatura, o que significa que, quando ela for atualizada, as mudanças serão enviadas automaticamente aos assinantes. O IE9 verificará as atualizações uma vez por semana. O recurso não vai bloquear cookies feitos em Flash.

A esta altura, a boa notícia fica por conta da perda de usuários do navegador. Segundo a W3Schools, em novembro de 2010, o IE (com todas as versões) tinha 28,6%; Firefox, 44%; Google Chrome 20,5%; Safari, 4% e Opera, 2,3%. A má notícia é que estes números são para o mundo e no Brasil ainda há amplo uso do navegador da Microsoft.

Via Baguete