Arquivo da categoria: NF-e

Nova versão da Nota Fiscal Eletrônica – NFe 2.0

A emissão de Nota Fiscal Eletrônica (NFe) é uma realidade presente diariamente nas empresas que realizam operações com mercadorias.

Conforme o Ato Cotepe 36/2010 a utilização da NF-e v1 foi interrompida e substituída pela versão 2.0 do documento fiscal. A obrigação de adotar o novo modelo vinha sendo notificado desde o final de 2010.

O novo padrão da NF-e traz várias mudanças que aumentam a conveniência para os usuários, excluindo campos desnecessários, incluindo novos itens e corrigindo os anteriores.

O NotaNet já está com todas as suas soluções atualizadas e todos os seus clientes já migraram para a nova versão.

Conheça a plataforma do NotaNet que comtempla um eficiente processo de emissão e recepção das notas eletrônicas, gerenciamento de impressão e certificados digitais, workflow e storage.

Fale com um de nossos consultores e agregue a marca BoldCron – UOL a sua empresa.

Para mais informações acesse www.notanet.com.br ou envie agora mesmo um  email para comercial@boldcron.com.br

Perdi o XML de uma NF-e, o que devo fazer?

Logo XML

De acordo com a própria SEFAZ em caso de sinistro ou perda do XML da nota, o máximo que o emissor poderá fazer é comunicar o extravio da mesma, uma vez que o SEFAZ não disponibiliza o armazenamento das notas, isso fica sob responsabilidade do contribuinte, como funcionava anteriormente com os modelos 1 e 1A. Lembrando que caso o empresário deixe de comunicar a SEFAZ sobre a nota perdida, posteriormente ele deverá se justificar acerca da falta da nota, o que resultará em multa correspondente.

O software emissor da SEFAZ disponibiliza a opção de backups, todavia, isso deve ser feito periodicamente e manualmente pelo usuário.

Evite problemas, conheça o NotaNet

Ao contrário do software da SEFAZ que deve obedecer a requisitos mínimos e deve ser instalado localmente na empresa, a plataforma do NotaNet funciona de forma online, podendo ser acessada de qualquer lugar com seu usuário e senha exclusivos disponibilizados pelo NotaNet. O NotaNet armazena em ambiente totalmente seguro todas as suas notas recebidas e enviadas, num período de 5 anos como exigido por lei fiscal, evitando assim, qualquer dor de cabeça iminente.

Soluções completas

Além dos backups totalmente eficazes, você contará com o gerenciamento, monitoramento, validação e um suporte técnico disponível por e-mail. Conheça nossos planos e caso apenas emita e receba até 10 notas mensais, o NotaNet disponibiliza um plano totalmente gratuito, com todos os benefícios do NotaNet para a sua empresa. Se possuir alguma dúvida, entre em contato conosco agora mesmo!

Calcule a economia da NF-e

Tax, Phillip Ingham, CCfoto: Phillip Ingham, CC

Muito se fala sobre a economia proporcionada pela Nota Fiscal Eletrônica no dia-a-dia dos negócios, porém pouco se mostra sobre como efetuar as contas necessárias para você tangibilizar a economia da NF-e na sua empresa.

Hoje o NotaNet, produto pertencente ao UOL, uma das maiores empresas do Brasil em processamento de pagamentos na internet e soluções para emissão, controle e recebimento de notas fiscais eletrônicas, mostrará como, efetivamente, calcular todos os benefícios econômicos da NF-e para a sua empresa.

Não entraremos no mérito fiscal, uma vez que sabemos que em algumas empresas uma parcela dos produtos vendidos anteriormente à obrigatoriedade da NF-e não eram contabilizados, porém mostraremos através de uma equação simples como calcular o desconto para a sua empresa.

Uma simples equação

Para calcular o valor médio de economia mensal da sua empresa na utilização da NF-e, é importante obter alguns dados. Note que listaremos alguns dados de referência, para que você possa tomar como base para o seu dia-a-dia:

Calcule a média de gasto de energia da sua impressora. Neste exemplo, tomamos como base um modelo muito utilizado para a emissão de notas fiscais no modelo A1, a famosa Epson FX 2190.

  • Consumo médio de energia mensal: 23w (calcule de acordo com o consumo médio de sua cidade): R$ 5,00;
  • Valor para aquisição de uma impressora no modelo acima: Em torno de R$ 1.900,00;
  • Valor de aquisição de uma nova fita de impressão (carga): R$ 40,00;
    • Custo médio da fita por nota fiscal impressa: R$ 0,05;
  • O preço médio de um pacote de formulário contínuo com 3 vias é de R$ 109,00, tendo o custo médio por conjunto de 3 vias de: R$ 0,25;

Altere este último valor pelo cobrado pela gráfica na impressão de suas notas fiscias modelo 1 e 1-A e adicione o valor cobrado pelo seu contador para o pedido de novos documentos fiscais.

Nota: No caso da aquisição da impressora, leve como base um período de 12 meses para depreciação, uma vez que este é o período comumente coberto pela garantia de fábrica.

Simulação do cálculo – Nota comum

Simularemos o cálculo para uma empresa que emita uma média de 200 notas fiscais mensais. Para isto, divida o valor total de compra da impressora por 12 (o número de meses para depreciação) e, divida novamente pelo número de documentos fiscais mensais (neste caso, 200). Teremos: R$ 0,79 por nota emitida.

Divida também o valor mensal do consumo de energia pela quantidade de documentos emitidos mensalmente: R$ 0,03 por documento.

Seguindo nosso cálculo: (consumo de energia) + (valor impressora por nota fiscal) + (custo médio da fita por nota fiscal) + (custo médio por formulário contínuo) = Total por nota emitida

Sendo: R$ 0,03 + R$ 0,79 + R$ 0,05 + R$ 0,25 = R$ 1,12 por nota fiscal = R$ 224,00 mensais

Lembre-se que em muitos casos será necessário contratar um profissional para a fiscalização da impressão das notas fiscais, bem como acompanhamento de todo o procedimento.

Simulação do cálculo – NF-e utilizando-se do NotaNet

Agora, mostraremos os benefícios de se utilizar o NotaNet em seus negócios, principalmente em comparação ao uso de notas fiscais comuns nos modelos 1 e 1-A, não mais autorizados pela Secretaria da Fazenda para os grupos de empresas obrigadas a aderir ao SPED.

Por se tratar de um sistema online, há apenas a necessidade de impressão do DANFE, que é o Documento Auxiliar à Nota Fiscal Eletrônica. Este documento deve, obrigatoriamente, acompanhar a mercadoria que é enviada para o cliente final e é emitido em uma única via comum.

Como a sua empresa provavelmente já possua impressora com jato de tinta ou a laser, será possível utilizá-la para a impressão de seus DANFEs, uma vez que eles podem ser impressoras na maioria dos modelos disponíveis no mercado.

Haverá, neste cálculo, apenaso custo do NotaNet, que cobra uma taxa mensal específica para um determinado número de documentos fiscais emitidos. Neste caso, ficaria:

– Plano 150 (para emissão e recebimento de até 150 NF-es por mês): R$ 165,00

– Emissão de 50 NF-e adicionais ao plano: R$ 0,69 por NF-e = R$ 34,50

Valor total por NF-e: R$ 0,99 por nota fiscal = R$ 199,50 mensais.

Conclusão

É possível observar que, com a utilização da Nota Fiscal Eletrônica, além de um avanço significativo no conceito tecnológico da sua empresa, é possível também ter uma economia superior a 50% por nota fiscal emitida (quando levamos em considerações os custos trabalhistas de se manter funcionários para estas atividades), além de possibilitar um melhor controle fiscal de sua empresa.

Com o NotaNet você terá a disposição da sua empresa um painel de controle online, onde com total autonomia será possível efetuar a emissão, controle e recebimento de suas notas fiscais, de forma unificada, em um único local. Lembramos que é necessário manter uma cópia de sua NF-e por 5 (cinco) anos, mas não se preocupe, o NotaNet armazenará as suas notas fiscais em nosso DataCenter, com uma completa infraestrutura tecnológica e totalmente disponível para os seus negócios.

Não perca tempo e escolha o melhor: Contrate já o NotaNet.

Nota Fiscal Eletrônica diminui significativamente a sonegação de impostos

O ano de 2010 foi um marco para a arrecadação de impostos no Brasil: R$ 1,27 trilhão. O valor representa um crescimento de 15,9% em relação ao ano de 2009 segundo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário).

De acordo com o presidente do IBPT a carga tributária teve o acréscimo considerável graças a Nota Fiscal Eletrônica, que evitou várias fraudes e sonegações fiscais.

Para quem não conhece a metodologia da NF-e ela funciona da seguinte forma: O empresário emite o DANFE ao destinatário, que constará a chave de registro com o qual poderá adquirir a Nota Fiscal final. Nesse período, o empresário deverá enviar a nota assinada virtualmente com seu devido Certificado Digital, obedecendo às normas do Manual do Contribuinte da SEFAZ em sua versão mais recente. Logo, a SEFAZ validará a nota e a enviará de volta ao comerciante que por fim poderá disponibilizá-la virtualmente ao seu destinatário.

Todo esse processo evita fraudes, uma vez que, todos os empresários obrigados a emitir a NF-e deverão prestar contas de todas as notas emitidas, e caso não emita, preencha incorretamente ou omita as notas fiscais, isso acarretará em pesadas multas para o contribuinte que podem chegar a 100% do valor negociado.

Lembrando que, neste ano de 2011, o novo modelo 2.0 (que conta com várias correções, as quais aumentam a segurança das transações realizadas) será exigido completamente pela SEFAZ.

Como o NotaNet pode me ajudar?

O NotaNet conta com o completo armazenamento de suas notas emitidas e recebidas, backup, gerenciamento, monitoramento e suporte técnico especializado. Acesse e conheça o ambiente do NotaNet por meio de nosso simulador totalmente gratuito.

O avanço tecnológico proporcionado pela NF-e

avanço tecnológico da nota fiscal

Além dos já conhecidos avanços tecnológicos ocasionados pela adoção nacional do novo sistema de nota fiscal eletrônica, como a aquisição de um certificado digital para a assinatura online dos documentos, há também outros avanços consideráveis que destacaremos neste artigo, demonstrando que o processo não se limita exetamente às ferramentas que compõem diretamente a sua utilização.

A mudança dos processos

Antigamente, o processo de preenchimento de uma nota fiscal se dava de forma manual ou por impressoras matriciais. Estas impressoras, de uma tecnologia antiga, faziam o preenchimento dos talonários fiscais de forma contínua e, estes por sua vez, eram distribuídos aos clientes com as mercadorias. Hoje, com a adoção do sistema de NF-e por milhares de empresas pelo país, o processo mudou e agora a emissão do documento fiscal se dá única e exclusivamente de forma virtual.

Entretanto, há ainda a necessidade de se enviar um documento junto à mercadoria para o consumidor, trata-se do DANFE (Documento de Apoio à Nota Fiscal Eletrônica). Para saber mais clique aqui. O DANFE deve ser emitido e impresso, devendo ser despachado junto à mercadoria. Trata-se de uma espécie de comprovante da emissão do documento fiscal virtual que pode ser impresso em qualquer tipo de impressora.

O que antes era manual passa a ser automático

Hoje, com a virtualização dos processos tributários, em especial a NF-e, ficou mais fácil para que muitas empresas adotem sistemas automatizados para a emissão e validação dos documentos fiscais. É possível, para muitos e-commerces, emitirem suas notas fiscais eletrônicas de acordo com o pedido feito através do carrinho de compras do site.

Há uma melhoria no processo como um todo e sua empresa já pode se aproveitar deste avanço tecnológico. Conheça o NotaNet, um produto do UOL, que faz a emissão, envio, recebimento, armazenamento e controle dos seus documentos fiscais. Tenha, em uma só ferramenta, as soluções para a emissão de suas Notas Fiscais Eletrônicas.

Motivos para utilizar o NotaNet na emissão de NF-e na sua empresa

São vários os motivos pelos quais a sua empresa precisa de uma ferramenta confiável para a emissão de suas notas fiscais eletrônicas e o NotaNet, reuniu neste artigo os principais benefícios de se confiar em nossa solução para a emissão, envio, recebimento e armazenamento dos seus documentos fiscais online.

Confiabilidade de uma marca consolidada

A confiança é essencial para a escolha da empresa que ficará responsável pelos processos virtuais das notas fiscais da sua instituição e, por isso, o NotaNet pode se orgulhar de sua base: O UOL. O Universo Online S.A. é uma das maiores empresas de tecnologia e internet do Brasil, é o portal de língua portuguesa mais completo e visitado do mundo (segundo dados do Ibope Nielsen) e possui uma base de assinantes superior a 1 milhão e meio de pessoas. São números como estes que consolidam o UOL e, por consequência o NotaNet como importantes ferramentas para a concretização do processo de virtualização dos seus documentos fiscais.

Uma solução completa

No NotaNet a solução é pensada como um todo. De nada adianta apenas emitir e enviar as suas notas fiscais eletrônicas, afinal a Lei que a instituiu determina que sejam guardadas cópias virtuais por até 5 anos, a fim de que a transação feita anteriormente tenha plena validade. A ferramenta faz o armazenamento automático online dos documentos recebidos e você tem a garantia de que o serviço será mantido em servidores atualizados e constantemente monitorados, a fim de que nenhum impasse venha a tirar a tranquilidade dos seus negócios.

Em uma só ferramenta online, que dispensa instalações complicadas ou incompatibilidades com seu computador, é possível emitir, enviar para seus clientes, receber de fornecedores, armazenar, pesquisar e organizar as suas notas fiscais eletrônicas. O acesso é completo, afinal você tem total autonomia sobre o seu negócio.

A segurança e o sigilo são fundamentais

A discrição é imprescindível quando lidamos com informações confidenciais, como as suas notas fiscais eletrônicas. É por isso que todos os servidores que armazenam e processam as requisições de documentos fiscais têm medidas de segurança internacionais adotadas, como firewalls e proteções de rede, além de complexos sistemas de anti-vírus e proteção contra malwares, a fim de garantir que nenhuma informação restritra seja visualizada por terceiros.

Todo o processo de acesso às informações é assegurado com criptografia de dados, ou seja, todas as informações digitada são processadas única e exclusivamente por nossos servidores, que as recebem como forma de código e, de forma individual, as transforma novamente em informações antes de processá-las.

Confie no NotaNet

São dezenas de motivos que poderão elucidar as suas dúvidas e mostrar que, realmente, o NotaNet tem uma solução única e completa para a sua empresa. Confira os planos, conheça a solução e torne-se um cliente satisfeito NotaNet.

Cuidados ao receber o DANFE da NF-e

cuidados-danfeMuitas dúvidas sobre a emissão e recepção do DANFE (Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica) têm surgido, afinal por mais que não seja um documento substitutivo às notas fiscais, é um documento de apoio que obrigatoriamente deve ser enviado junto às mercadorias e entrega aos clientes. A mais comum delas, que será abordada por este artigo, trata sobre a responsabilidade que o consumidor assume ao receber uma mercadoria em que o DANFE fora emitido antes da validação da NF-e pela SEFAZ e, com isso, torna-o inválido, bem como a transação comercial efetuada.

A versão 2.0 da NF-e trouxe diversas melhorias no que concerne à tributação e validação dos documentos fiscais, porém também propiciou uma liberalidade jurídica com relação à responsabilidade pela recepção dos DANFEs que ainda não tenham sido validados pela Secretaria da Fazenda.

Pela legislação atual, é possível emitir o DANFE e enviar a mercadoria à transportadora e em decorrência disso, ao cliente, sem que a NF-e esteja devidamente validada pela SEFAZ. A responsabilidade, neste caso, inicia-se pela transportadora, que tem obrigação de, com o código referente à NF-e disponível no DANFE, analisar no portal da Secretaria da Fazenda a validade daquele documento. A transportadora, ao não fazê-lo, segundo interpretação da nova regulamentação, também poderá estar sendo conivente com a irregularidade.

Ao receber uma mercadoria, o cliente deve, em primeiro lugar, acessar o portal da Secretaria da Fazenda para averiguar a validade da NF-e referente ao DANFE recebido junto à mercadoria, pois pode até mesmo ser taxado como cúmplice no processo de irregularidade fiscal caso algum problema grave seja encontrado com relação à emissão das Notas Fiscais Eletrônicas por parte da empresa emitente.

Por isso, até uma nova validação jurídica e atualização da Lei que corresponde à versão 2.0 da NF-e, é necessário que o consumidor redobre sua atenção com relação à validade dos documentos e mercadorias recebidas. Os clientes que, por sua vez, não possuam acesso à internet, têm em seus Estados e em muitos Municípios do país, locais de acesso público, como o Acessa São Paulo da capital paulista. Fique atento(a) à validação de sua NF-e, pois caso contrário, o seu cliente também estará fiscalizando.

Com informações de: Roberto Dias Duarte – Portal SEGS.

Como fica a Carta de Correção com a Nota Fiscal Eletrônica?

São muitas as dúvidas que surgem entre os emitentes de Nota Fiscal Eletrônica quanto ao uso da carta de correção. Como este evento ainda não foi disponibilizado de forma eletrônica, há uma necessidade de soluções para resolver este problema com a situação atual, para que os estabelecimentos possam trabalhar de forma a manter a fidedignidade da informação, mesmo que emitindo eletronicamente o documento fiscal.

Como não existe ainda a disponibilidade do evento carta de correção eletrônica, a carta de correção em papel regulariza a situação para a correção do registro que tenha sido registrado com erro, desde de que seja permitido, conforme disposto no Ajuste SINIEF 01/07.

Havendo algum erro no CNPJ do estabelecimento, desde de que os demais registros do estabelecimento estejam corretos, a carta de correção poderá ser emitida para corrigir esse erro. Evidente que esta correção não estará disponível no sistema eletrônico, mas tanto o emitente quanto o destinatário deverão anexar ao DANFE a carta de correção emitida em papel para que possa comprovar que a correção do documento fiscal realizado pelo emitente foi elaborada conforme determina a legislação.

Portanto, se for feita uma análise no AJUSTE SINIEF 01/07, poderá ser observado que esse ajuste define muito bem quais são as situações em que não pode ser emitida a carta de correção. Se a situação que se pretende corrigir o erro não estiver enquadrada nas proibições do AJUSTE SINIEF 01/07, o estabelecimento poderá proceder ao uso desse recurso.

Assim que o evento carta de correção eletrônica for disponibilizado, nada mudará quanto ao seu uso, ou seja, em regra continuará sendo aplicado o mesmo modelo da legislação em vigor. A diferença consistirá apenas na disponibilidade da informação de forma eletrônica, que proporcionará maior transparência ao processo.